Header Ads Widget

anigif.gif

SURPER MATUTÃO: FOCO NO FUTEBOL DO INTERIOR POTIGUAR


Com o início previsto para o próximo dia 16 de julho, a Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) já está finalizando os preparativos para proporcionar a largada do maior campeonato de futebol amador do estado. O Super Matutão 2022 tem como metas a proposta de interiorizar o futebol, resgatando as disputas regionais entre os municípios, bem como revelar talentos e futuros atletas que possam despontar para o mundo profissional do futebol. Estão inscritas 26 equipes no torneio, que promete ser um dos mais disputados. A seleção de São Gonçalo foi a campeã da temporada passada.

Segundo o pesquisador do futebol potiguar, Marcos Trindade, a competição teve início na década de 60, mas depois acabou e só voltou a ser disputada a partir de 1971, quando ganhou notoriedade sendo organizada pelo jornalista Everaldo Lopes, com a chancela da FNF. Um dos maiores campeões do torneio foi a equipe do Centenário de Parelhas, conquistando as edições de 1988, 1989 e 1990.

Já naquela época, Everaldo Lopes previa que aquela seria uma das maiores competições entre equipes amadoras do interior do Brasil, chegando a ser disputado por 80 equipes. A competição resistiu até o final da década de 90, quando os representantes das cidades começaram a querer dar um viés profissional às suas equipes, pagando os atletas atrás de formar verdadeiras seleções para chegar ao título. A conta foi ficando cara e as prefeituras com dinheiro limitado não conseguiram mais arcar com os custos do futebol.

O campeonato revolucionou o interior do RN e também conseguiu lançar ao mercado do futebol profissional nomes como Souza, que defendeu o selecionado de Itajá numa equipe que contava ainda com Bebeto, Zé Ivaldo, Sinha, um jogador que fez sucesso e chegou a integrar a Seleção do México . Essa tradição foi quebrada após vinte anos, depois que a característica amadora da disputa foi perdida.

Na busca de evitar que o mesmo mal atinja a competição que vem buscando revigorar, uma das medidas iniciais tomadas pelo presidente da FNF, José Vanildo, para o lançamento do Super Matutão foi baixar uma norma proibindo a participação de atletas profissionais nas equipes. “Será o maior Campeonato amador do RN, nenhum ex-atleta profissional poderá participar. Um verdadeiro revelador de valores que vai movimentar os municípios”, disse o dirigente.

No sentido de prestar uma justa homenagem ao fundador do torneio, a FNF deu o nome de Everaldo Lopes ao troféu do campeão. Formado em administração ele foi servidor público do INSS, além de secretário do ABC, quando iniciou sua ligação de forma mais direta com o futebol. Apaixonado pelo jornalismo, iniciou a carreira como entrevistador na antiga Rádio Poti, nutrindo sempre a paixão pelo esporte que acabou se transformando em sua base de sustentação.

Everaldo trabalhou no Diário de Natal, onde foi responsável pela com a coluna “Cartão Amarelo”, que era composta apenas por charges, em 1988 foi contratado pela TRIBUNA do NORTE, onde ficou responsável por escrever algumas matérias especiais e a coluna “Apito Final”. O jornalista também foi autor de alguns livros, o mais vendido foi “Da Bola de Pito ao Apito Final”, onde contou a história do futebol no RN. Sua outra obra foi o livro Cartão Amarelo, onde junto com o chargista Edmar Viana realizou o apanhado de tudo que foi publicado de charges nos dois maiores jornais do estado.

Organização

Durante o Conselho Técnico realizado no dia 30 de junho, foram definidos, por sorteio, os confrontos da primeira fase da competição, que será disputada em sistema de mata-mata, com jogos de ida e volta. Para definição das partidas, a FNF dividiu as seleções em grupos, considerando a proximidade geográfica dos municípios, visando diminuir os custos com deslocamento para as equipes, bem como movimentar as torcidas locais através das disputas entre municípios vizinhos.

A segunda fase do Super Matutão irá reunir as 13 equipes vencedoras dos confrontos da etapa inicial e a seleção eliminada que obtiver o melhor índice técnico nesta etapa. Os jogos, que também serão disputados em partidas de ida e volta, irão observar, quando possível, as questões territoriais, promovendo, mais uma vez, as disputas regionais. Já na etapa seguinte, o torneio terá as sete seleções vencedoras da segunda fase e novamente a seleção com o melhor índice técnico.

A disputa das quartas de final segue com os quatro vencedores se classificando para as semifinais. A grande final do Super Matutão será disputada pelas duas equipes que vencerem esses confrontos. A previsão é que o jogo decisivo aconteça no mês de novembro, em Natal.

Todos os municípios do Rio Grande do Norte foram convidados a participar do torneio, com a condição de obedecer aos critérios técnicos exigidos para sediar os jogos. O local para mando de jogo deve possuir um campo gramado, ter vestiários para árbitros e equipes, e deve existir divisão entre o campo de jogo e o local para torcedores (sem exigência de arquibancadas).

O mando de jogo também poderia ser transferido para algum município vizinho, caso o participante não possuísse local apropriado às exigências realizadas pelos organizadores. A FNF vai disponibilizar os árbitros do quadro da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol (Ceaf) e duas bolas por mandante. Para dar holofote aos jovens que não tiveram oportunidade de mostrar suas habilidades, os jogadores não podem ter possuído vínculo de profissional com equipes ou vínculo de amador ativo no ano de 2022. A faixa etária dos atletas foi limitada para os nascidos entre 2001 e 2006. Serão premiados os dois primeiros colocados da disputa. O vencedor irá levar um carro zero km e o segundo colocado, uma moto zero km.

Para o presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol, José Vanildo, o Super Matutão é um evento que vai congregar todo o estado do RN. “O objetivo de fazer com que os municípios tenham uma competição que pode revelar craques abrindo oportunidades para que os jovens se afastem do risco das drogas e mergulhem de corpo e alma na possibilidade de ingressar no mercado profissional do futebol. A competição volta para motivar a integração do esporte, além de desenvolver e divulgar o destino das cidades. O Super Matutão é a esperança de renovação do futebol no nosso estado”, ressaltou.

Um diferencial desta edição foi a realização do projeto “Super Matutão na Estrada”, que no mês de maio levou representantes da FNF ao interior do RN, apresentando a proposta do torneio e ouvindo as sugestões e dúvidas dos interessados. Foi a primeira vez que a FNF deixou a sede em Natal para realizar reuniões pelo interior. A comissão visitou 8 municípios do RN, e recebeu a participação de mais de 50 equipes nos encontros. Nessas ocasiões, foram detalhadas as propostas para nova edição do torneio, além disso, os membros da FNF tiveram a oportunidade de conhecer as dificuldades enfrentadas pelos municípios.

O representante da comissão organizadora do Super Matutão, Rubem Martins Neto, destacou a responsabilidade da FNF com a competição. "É um campeonato amador com estrutura de primeira divisão. A gestão da FNF vai além da sua obrigação com os filiados e faz questão de fomentar o futebol amador e revelar novos talentos pelo interior", ressaltou.

As equipes estão agora em fase de treinamento e registro dos atletas. Entre os preparativos das seleções estão os treinamentos e a realização de jogos amistosos, inclusive com alguns clubes profissionais do estado, a fim de dar experiência e ritmo de jogo aos jovens atletas, além de dar visibilidade aos talentos. Os preparativos das equipes estão disponíveis no Instagram @supermatutaorn.