Header Ads Widget

anigif.gif

RN DIZ QUE NÃO TEM DOSES SUFICIENTES PARA VACINAR CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS CONTRA A COVID-19


Segundo Sesap, não há vacina suficiente para a aplicação das duas doses do imunizante em estoque nos municípios potiguares.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) emitiu uma nota técnica nesta segunda-feira (18) informando que não tem doses suficientes de CoronaVac para vacinação de crianças entre 3 e 5 anos de idades. A impossibilidade se dá pela necessidade de reserva da segunda dose, a ser aplicada 28 dias depois.

Na sexta-feira (15), o Ministério da Saúde recomendou ao estado e aos municípios que ampliasse a aplicação da CoronaVac para esse público entre 3 e 5 anos.

A nota da Sesap, emitida em conjunto com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN, diz que a pasta "espera de posicionamento do Ministério da Saúde sobre o o envio de doses para cobertura vacinal desse público".

A secretaria disse que, diante da falta de doses em estoque e de sinalização por parte do Ministério da Saúde para envio dos imunizantes para o público infantil, articulou junto aos municípios um levantamento das vacinas disponíveis.

Ao todo, 113 dos 167 secretarias municipais de saúde responderam à consulta e elas acumulam um total de 94.773 doses de CoronaVac estocadas a nível municipal.

O público-alvo estimado para esses 113 municípios é de 82.980 crianças entre 3 e 5 anos, não podendo assim ser totalmente atendido em virtude da necessidade de se reservar as duas doses.

A população total estimada para o RN nessa faixa etária, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 95.901 crianças.


Anvisa aprova o uso emergencial da CoronaVac pra crianças de 3 a 5 anos

Essa impossibilidade acontece porque a orientação da Sesap aos municípios, entes responsáveis pela aplicação dos imunizantes, é que sejam seguidas as normas técnicas da Anvisa, incluindo o intervalo temporal de 28 dias entre a primeira e a segunda doses.

A vacina também deve ser aplicada em ambiente específico e segregado da vacinação de adultos, devendo ser evitada a modalidade drive-thru.