Header Ads Widget

anigif.gif

DISCURSO DE PERDEDOR: FÁBIO DANTAS DIZ " É PRECISO MUDAR A FACE DO RIO GRANDE DO NORTE"


“Não podemos querer resultados diferentes fazendo tudo sempre igual”, afirmou o pré-candidato ao governo do Estado Fábio Dantas (Solidariedade), ao fazer análise sobre a gestão da governadora Fátima Bezerra (PT). Segundo ele, mais da metade dos eleitores do Rio Grande do Norte desejam a gestora fora do Poder Executivo estadual, que busca a reeleição.

“Os potiguares sabem que as coisas não podem continuar da mesma forma. Nossa luta é para mostrar que existe uma nova forma de fazer gestão, com pessoas. Entendo que um governo deve ser feito com o gestor se colocando no lugar das pessoas, sabendo ouvir e o nosso governo será de muito coração, mas também sabendo que é importante a formação”, disse.

Para o pré-candidato, “é preciso mudar a face do Rio Grande do Norte e levar para nossa população oportunidades de geração de emprego e renda. Um governo empreendedor irá nascer a partir da nossa chegada, no dia 1º de janeiro de 2023. Tenho andado pelo Rio Grande do Norte e só vejo buracos nas estradas, problemas na saúde e os municípios sem obras. Fátima não foi, nem é, uma boa gestora. Mais de 50% da população que não querem mais quatro anos de Fátima Bezerra no governo do Estado”, disse.

Fábio lamentou que, apesar de Fátima vir da área da educação, já que a petista foi professora e líder sindical, em sua gestão, ela não priorizou os professores e o ensino público. “Fátima Bezerra foi uma péssima governadora. O que se percebe pelo Estado é um completo absurdo. Escolas abandonadas pelo Estado, fechadas, jogadas às traças pelo atual governo da professora Fátima. O Rio Grande do Norte precisa urgentemente mudar esse cenário e avançar com uma educação de qualidade e digna para a população”.

Em declaração recente ao AGORA RN, o pré-candidato enfatizou que a gestão do Partido dos Trabalhadores no Estado abandonou as cidades e não se preocupa com os principais problemas que afligem as pessoas. “Não é esse o Rio Grande do Norte que eu quero para os meus filhos, não é esse o Estado que eu quero para os meus semelhantes”.

‘Precisamos trabalhar com responsabilidade’, fala

Fábio Dantas destacou que, caso seja eleito o governador do Estado, pretende colocar todas as escolas estaduais para funcionarem em sua plenitude, investirá pesado na educação profissional, criando uma Escola de Governo, que já existe, unida à Universidade Estadual (UERN) para dar qualidade no apoio à gestão.

“Criar uma espécie de vestibular para selecionar os melhores da rede estadual do ensino superior do Metrópole Digital, para termos tutores da construção dos projetos de desenvolvimento do RN. Queremos construir uma Escola de Governo que se transformará em escola profissionalizante de construção de projeto para o próprio governo. O Estado gasta muito com consultorias, queremos acabar com isso e usarmos a UERN e a Escola de Governo”, frisou.

O pré-candidato tem tecido duras críticas em suas redes sociais sobre as condições das rodovias estaduais e disse que o pior é saber que, “esta é apenas mais um exemplo do descaso e abandono do desgoverno Fátima com as estradas do Rio Grande do Norte”.

“A situação da RN-093, em Ruy Barbosa, é vergonhosa! O descaso do governo do Rio Grande do Norte com nossos municípios é lamentável. A atual administração ignora as nossas cidades, e isso se reflete no abandono das estradas. Precisamos trabalhar com responsabilidade e compromisso para transformar nosso Estado e fazer com que ele cresça”.

Fábio Dantas ressaltou que, para melhorar a infraestrutura e as estradas do Estado, é preciso investimentos de cerca de R$ 1 bilhão, para reformar as existentes e criar um programa contínuo de manutenção. O que, para ele, antes de iniciar a execução desses serviços, é preciso fazer reformas necessárias da reorganização financeira do Estado.

“A partir daí, o RN não é tão dependente dos recursos federais para execução de obras necessárias, preeminentes e contínuas. As rodovias e estradas terão um trabalho contínuo de manutenção, coisa que nunca foi feito. A governadora Fátima anuncia estradas todos os anos, mas que não se tornam realidades”, pontuou.