Header Ads Widget

anigif.gif

TENDÊNCIA DO PSDB NO RN É EVITAR COLIGAÇÃO COM CHAPA MAJORITÁRIA


A tendência do PSDB é de não fechar nenhuma coligação majoritária para as eleições no Rio Grande do Norte, mas antes de anunciar, oficialmente, o posicionamento político ao pleito de outubro, o presidente da Executiva Estadual tucana, deputado estadual Ezequiel Ferreira, tem de formalizar em nível local - até a quinta-feira (30), a federação fechada nacionalmente com o partido Cidadania.

Presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Ezequiel Ferreira, deverá se reunir no meio desta semana com o presidente estadual do Cidadania, ex-deputado estadual Wober Júnior, a fim de discutirem a constituição do colegiado estadual da federação e, de acordo com a resolução assinada no dia 15 pelos presidente e vice-presidente do colegiado nacional, Bruno Araújo e Roberto Freire, realizarem "análise da conjuntura política local e da potencialidade das possíveis chapas proporcionais e majoritárias da Federação, visando a implementação de estratégia conjunta de atuação" nas eleições de 2022.

O deputado Ezequiel Ferreira já havia destacado indiidualmente, desde o ano passado que apoiaria a pré-candidatura a senador do então ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, “por tudo o que tinha feito pelo Rio Grande do Norte”, além de ter “ a capacidade de unir grande parte da classe política, o empresariado e pode fazer uma grande pactuação para o desenvolvimento e progresso do Estado”.

Em entrevista a uma rádio no município de Martins, em 13 de maio deste ano, Ezequiel Ferreira apontou que a possibilidade do PSDB não fechar questão sobre o apoio a uma candidatura a governador e liberar seus deputados e filiados para apoiar o nome que considerarem a melhor opção na disputa majoritária. “Acabou o tempo em que o presidente do partido dizia: ‘Tem que ser desse lado'. E todos precisavam ficar neste posicionamento. O tempo é de democracia aberta, interna e externa”, destacava na entrevista.

Porém, dirigentes do PSDB estadual afirmam que Ezequiel Ferreira continua “ouvindo as bases eleitorais tucanas em Natal e no interior”, a respeito da possibilidade de apoios a uma chapa para o governo, mesmo que informalmente, o que inclui 31 prefeitos, 25 vice-prefeitos e 244 vereadores e dirigentes de 124 diretórios municipais.

Sem lançar candidatos a cargos majoritários, a estratégia do PSDB é concentrar força política na eleição do maior número possível de deputados federal e estadual. Segundo o Estatuto da Federação partidária, as chapas para as eleições proporcionais em 2022 serão compostas por candidatos de ambos os partidos políticos, sendo assegurado a cada um pelo menos 20% das vagas ou o número de candidatos proporcional à respectiva votação obtida nas eleições de 2018, o que for maior, devendo ser contabilizada nesse cálculo aquela votação obtida por parlamentares federais filiados que tenham sido eleitos por outro Partido.

Pelo Estatuto, a convocação da convenção eleitoral para deliberar sobre a formação de coligações e escolha de candidatos de todos os níveis por seu presidente estadual, tem de ocorrer com antecedência mínima de 15 dias por meio de envio de correspondência eletrônica, de mensagens e publicação em canais oficiais da Federação, devendo constar a ordem do dia, horário e local ou canal a ser utilizado.

Como o período das convenções no calendário eleitoral vão de 20 de julho a 05 de agosto, a Federação PSDB Cidadania terá de convocar os convencionais, no máximo, até o primeiro dia do início de prazo das convenções partidárias para deliberação sobre candidaturas coligadas ou não para governador e senador, e de deputado estadual e federal.

A convenção pode ser presencial, virtual ou híbrida, devendo observar as normas editadas em resolução pelo Colegiado Nacional da Federação, e instalada com a presença de pelo menos metade mais um do número de convencionais.

Federação está respaldada pelo TSE

A Federação PSDB e Cidadania foi deferida em 26 de maio no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e, segundo o Estatuto (artigo 17), os órgãos de direção estadual serão compostos por 11 membros titulares e três suplentes, distribuídos entre os partidos político com base na proporção dos votos obtidos por cada partido para deputado federal e prefeito na eleição imediatamente anterior, conforme a circunscrição de atuação do colegiado, assegurada a participação mínima de 30% para cada gênero.

Pelo fato de ter obtido 72.080 votos (90,30%) para deputado federal nas eleições de 2018 dentre os dois partidos, o PSDB ficará com a maior parte das vagas, vez que o Cidadania obteve 7.743 votos (9,70%) à Câmara dos Deputados, cabendo a Ezequiel Ferreira o cargo de presidente do colegiado da Federação (artigo 18 do Estatuto).

O PSDB tem a maior bancada na Assembleia Legislativa, com 12 deputados (50% da Casa), e terá papel importante na eleição deste ano no Rio Grande do Norte. Contudo, a divisão entre o posicionamento político dos parlamentares pode fazer com que o tempo de propaganda política de Rádio e TV da legenda seja "perdido" e não vá para nenhum candidato ao Governo e ao Senado.

No Rio Grande do Norte, metade dos deputados estaduais do PSDB apoiam a gestão da governadora Fátima Bezerra (PT): o presidente da legenda, deputado Ezequiel Ferreira, os deputados Kleber Rodrigues, Ubaldo Fernandes, Dr. Bernardo, Albert Dickson e Raimundo Fernandes.

Do outro lado, fazem oposição ao Governo do Estado os deputados Galeno Torquato, Getúlio Rego, Gustavo Carvalho, José Dias, Nelter Queiroz e Tomba Farias.

De toda a bancada, apenas o deputado Raimundo Fernandes tem declarado que votará no pré-candidato a senador que for apoiado pela governada Fátima Bezerra, no caso o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT). Todo o resto da bancada, apoia a pré-candidatura do ex-ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que é filiado ao Partido Liberal (PL), o mesmo do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Anteriormente, deputados de oposição afirmaram que o tempo de TV do PSDB estaria com Fábio Dantas, apesar de haver o compromisso de respeitar o posicionamento de cada um dos deputados. Contudo, de acordo com apuração da jornalista da Jovem Pan News Natal, Virgínia Coelli, o partido permanecerá neutro na disputa, sem repassar o tempo de propaganda gratuita para nenhum candidato ao Governo.