Header Ads Widget

anigif.gif

PROCON ENCONTRA REDUÇÃO NO PREÇO DA GASOLINA E AUMENTO NO DIESEL


O Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) de Natal realizou mais uma pesquisa de preço dos combustíveis no mês de maio. A primeira pesquisa foi realizada no dia 10 e encontrou um preço médio da gasolina comum praticado nas bombas de R$ 7,59; já a segunda pesquisa foi realizada no dia 27 do mesmo mês e encontrou gasolina comum nos postos sendo vendida ao preço médio de R$ 7,51. Com isso, o instituto identificou redução comparando com o preço médio da gasolina sendo vendida no mês de abril, de R$ 7,72. Isso representa, em relação ao preço no mês passado, uma variação negativa de 1,72% na primeira pesquisa e de 2,78% na segunda pesquisa.

Veja abaixo a variação de preços nos diferentes combustíveis e as diferenças nas zonas da cidade

Para o diesel comum, o preço médio da primeira pesquisa foi de R$ 6,84. Esse preço foi observado pelos pesquisadores nas bombas um dia após o aumento anunciado pela Petrobras de 8,87% no preço do diesel nas distribuidoras. Em uma segunda pesquisa, 17 dias após o aumento anunciado, o diesel comum estava sendo vendido ao preço médio de R$ 7,17. Comparando os preços médios da primeira e segunda pesquisa com o preço médio do diesel comum no mês em abril, de R$ 6,73, a variação encontrada pela pesquisa foi de 1,61% e 6,48%, respectivamente.

No diesel S-10, foi verificado que 66,7% dos postos aumentaram seus preços entre as duas pesquisas realizadas no mês de maio. Na primeira pesquisa foi encontrado um preço médio de R$ 7,12 e na segunda pesquisa de R$ 7,17. Na primeira pesquisa a variação foi de 1% em relação ao mês anterior, onde o preço médio foi de R$ 7,05, e na segunda esse percentual aumentou para 5,26%. Dessa forma, a pesquisa encontrou pequeno repasse do aumento anunciado pela Petrobras na primeira semana, no entanto, na segunda pesquisa foi identificado um aumento significativo nos preços da bomba.

A pesquisa identificou um menor reajuste de R$ 0,17 no litro do diesel S-10, onde na primeira pesquisa o preço encontrado em determinado posto era de R$ 7,19 no litro, enquanto que na segunda pesquisa era de R$ 7,36. Esse comportamento foi observado na zona Sul da cidade, onde 67,86% dos postos da região tiveram repasse desse aumento entre as pesquisas realizadas em maio. O maior repasse foi encontrado na zona Leste de Natal, onde o percentual de postos da região com reajuste encontrado pela pesquisa foi de 70,83%. Em um mesmo posto da região, o preço do diesel S-10 na primeira pesquisa era de R$ 6,75 no litro e na segunda pesquisa era de R$ 7,49, ou seja, um aumento de R$ 0,74 de uma pesquisa para outra.

O Núcleo de Pesquisa do Procon, setor responsável pela análise dos dados pesquisados, realiza pesquisa em 84 postos de gasolina na cidade do Natal, contemplando as quatro regiões da cidade. As planilhas contendo todos os dados de preço, média e variação, bem como os estabelecimentos pesquisados, para todos os combustíveis, podem ser obtidas através do endereço eletrônico www.natal.rn.gov.br/procon/pesquisa.

Gasolina comum

Na última pesquisa, que foi feita no dia 27 de maio, a diferença entre o maior (R$ 7,69) e o menor preço (R$ 7,39) foi de R$ 0,30 por litro de gasolina, e isso equivale a uma variação de 4,36%. A variação mensal foi negativa de 1,72% com o preço médio atual de R$ 7,59, e R$ 7,72 na pesquisa anterior.

A gasolina comum mais barata encontra-se na região Oeste da cidade. A região apresentou o menor preço médio dentre as quatro regiões pesquisadas com R$ 7,54. A pesquisa encontrou o menor preço de R$ 7,39 na região Leste, no bairro das Rocas. Já o maior preço da gasolina comum, praticado por 30,95% dos postos pesquisados, foi de R$ 7,69. Na zona Sul foram encontrados os maiores preços em média da gasolina comum, de R$ 7,63.

Gás veicular (GNV)

O Gás Veicular tem mantido seus preços regulares nas pesquisas realizadas pelo Procon Natal, no entanto, observa-se um comportamento de preços entre uma pesquisa e outra desse mês. Entre os postos pesquisados, 2,4% deles aumentaram seus preços e esse mesmo percentual foi observado em postos que reduziram seus preços. O Procon orienta os consumidores a observar os postos com preços promocionais, uma vez que 14,3% dos postos pesquisados mantiveram seus preços em relação à primeira pesquisa desse mês (lembrando que 82,1% dos postos não vendem esse tipo combustível).

O preço médio do GNV na primeira pesquisa foi de R$ 4,57 e na segunda pesquisa não houve alteração. Em abril a média desse combustível foi de R$ 4,56, uma variação de 0,13%. A diferença entre o maior e o menor preço desse tipo de combustível é de 2,23% e a diferença em reais é de R$ 0,10 (10 centavos de reais) por metro cúbico. O menor preço constatado pela pesquisa foi de R$ 4,49 na zona Leste, no bairro do Tirol, e o maior preço encontrado foi de R$ 4,59 em todas as regiões. A maior concentração desse preço foi encontrado na região Sul da cidade, onde todos os postos que vendem esse combustível praticavam esse mesmo preço, sendo essa a região que teve o maior preço.

Etanol

A pesquisa do Procon Natal vem identificando aumento no etanol mês após mês, no entanto, também é observado uma diferença grande entre o maior e menor preço cobrado. No comparativo entre o maior e o menor preço no mês de maio, na primeira pesquisa, a variação foi de 10,94%, onde o maior preço encontrado foi de R$ 6,59 e o menor preço de R$ 5,94. Já na segunda pesquisa do mês, a variação entre o maior e menor preço foi de 16,07%, onde o maior preço encontrado na pesquisa foi de R$ 6,79 e o menor preço de R$ 5,85, uma diferença em reais de R$ 0,94. Segundo o instituto, esses preços demonstram que, mesmo a pesquisa encontrando aumento mês a mês, o consumidor deve procurar os postos com os menores preços para abastecer.

Em média o preço do etanol corresponde a 83% do preço da gasolina, o que é inviável para o consumidor que possui veículo flex abastecê-lo com etanol, segundo orienta o Procon Natal. De acordo com o órgão, o preço do etanol deve ser, no máximo, 70% do preço da gasolina, ou seja, o etanol deveria custar R$ 5,25 em média. Na prática, o preço médio encontrado pela pesquisa foi de R$ 6,25. O menor preço na bomba foi encontrado a R$ 5,85, o que, segundo o Procon, ainda assim não é viável para o consumidor.

Diesel comum e Diesel S-10

Com relação ao diesel comum, um dia após o anúncio de aumento da Petrobras, a pesquisa encontrou variação de 1,61% de um mês para o outro. No mês de abril a pesquisa encontrou o preço médio de R$ 6,73 e no mês de maio, foi de R$ 6,84. Já a variação entre o maior e menor preço no mês foi de 17,49%, onde o maior preço (R$ 7,39) foi encontrado nas zonas Sul e Oeste. A maior média encontrada pela pesquisa (R$ 7,04) foi encontrada na região Oeste, enquanto que o menor preço foi encontrado na região Norte, no bairro de Pajuçara e na Redinha (R$ 6,29). O menor preço em média também foi na zona Norte (R$ 6,65). Na segunda pesquisa de maio, o preço médio do diesel comum foi de R$ 7,17. Comparando com a pesquisa de abril, a varição é de 6,48%.

O diesel S-10 teve seu preço médio encontrado na primeira pesquisa de R$ 7,12, sendo a variação entre o mês de abril e maio de 1%. O preço médio no mês anterior foi de R$ 7,05, apresentando um aumento de R$ 0,07 centavos de reais. A região com o menor preço médio foi a Norte, com R$ 6,91, e a região com maior preço médio foi a Sul, com R$ 7,18. Na segunda pesquisa o preço médio do diesel S-10 foi encontrado a R$ 7,42, comparando com abril a varição é de 5,26%. O maior preço encontrado para esse combustível foi de R$ 7,70 na região Sul e o menor preço na região Oeste, no posto Confiança, no bairro das Quintas, uma diferença de R$ 0,60.