Header Ads Widget

anigif.gif

CAMPUS DA UERN É INAUGURADO NA ZONA NORTE DE NATAL


Após 13 anos do início das obras, o prédio da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), localizado na zona Norte de Natal, foi finalmente concluído e entregue, na manhã da quarta-feira (25). As aulas no novo espaço estão previstas para começar no próximo dia 6 de junho, com turmas dos cursos de Ciências e Tecnologia; Ciência da Religião; Ciência da Computação, Turismo e Direto. Ao todo, o prédio beneficiará cerca de 1 mil alunos de graduação e outros 1,2 mil pessoas da região, que serão contempladas com ações de extensão.

Para a retomada das obras, o governo estadual investiu cerca de R$ 1 milhão, segundo o titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sin), Gustavo Coêlho, que foram aplicados na correção da estrutura física e em projetos de acessibilidade. A obra teve seu marco inicial ainda em 2009, mas pouco caminhou e ficou estagnada até fevereiro de 2019. A reitora Cicília Maia diz que a reabertura marca a celebração dos 20 anos da UERN Natal e abre um ambiente de interação direta com a população que vive no entorno da instituição, localizada na Avenida Dr. João Medeiros Filho, no bairro Potengi.

Inauguração do campus da UERN na zona Norte teve cerimônia com a presença da governadora Fátima Bezerra

“É uma alegria sem tamanho porque com essa nova estrutura nós conseguiremos potencializar ainda mais, no que diz respeito às ações de ensino, pesquisa e extensão. A nossa comunidade universitária, através de nossos técnicos, discentes e docentes estão aqui felizes, com mais esse dia histórico para a educação do Rio Grande do Norte, trazendo um equipamento de transformação social para a zona Norte de Natal”, diz a professora.

A estrutura tem um piso de estacionamento e três pavimentos com 20 salas de aula, biblioteca, auditório, laboratórios e salas de professores. O Campus Avançado da Universidade terá capacidade de ampliar futuramente a oferta de vagas para três mil alunos, com até mais oito novos cursos de graduação, considerando os três turnos de funcionamento. Esses novos cursos ainda não estão definidos e serão escolhidos com base nas demandas atuais e locais para a zona Norte, e precisam ser aprovados pelos conselhos superiores da UERN.

O professor Sidcley Alegrini, do Departamento de Turismo, destaca que um dos principais papéis da instituição é se aproximar cada vez mais da população da região, uma vez que não existem outras instituições de ensino superior pública na zona Norte da capital. “A gente tem esse compromisso e a população terá esse retorno. O sentimento nesse momento é de gratidão, não foi fácil, mas a UERN sai fortalecida. Tivemos um aprendizado muito grande nesse período, com a pandemia, e agora a gente espera pôr em prática com o retorno das aulas”, pontua.

O Complexo Cultural da UERN (Ccuern), que abrigou os cursos de graduação da universidade na zona Norte, continuará fazendo parte do campus de Natal, passando a ser espaço inteiramente dedicado às atividades da Escola de Extensão da UERN (EdUCA), que atende a cerca de 1,2 mil pessoas da comunidade, de crianças a idosos, por semestre, em turmas de dança, música, teatro e modalidades esportivas. No CCUERN, também continuará funcionando o Núcleo de Prática Jurídica, onde os alunos do curso de Direito realizam cerca de mil atendimentos anuais, bem como outras atividades de extensão da UERN em Natal.

A governadora Fátima Bezerra (PT) esteve na cerimônia de inauguração. “Isso aqui não é um espaço qualquer, é um dos mais belos patrimônios do Rio Grande do Norte. É um espaço do saber, de produção da ciência, do conhecimento. O nosso compromisso com a educação foi determinante, nós tínhamos o dever, a obrigação de retomar essa obra com todo afinco e entregar, como fizemos”, disse a chefe do Executivo potiguar.

Durante a inauguração, os visitantes poderiam visitar a exposição “Memorial do Caldeirão”, que apresentava fotos do antigo Complexo Penal Dr. João Chaves, principal centro de detenção do Estado entre as décadas de 1960 a 2000, e de atividades culturais que passaram a acontecer depois que o presídio foi desativado. O nome faz referência ao Caldeirão do Diabo, como era conhecido o complexo penal.

UERN faz 54 anos em 2022
A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte está presente em seis municípios, com os campi de Mossoró, Natal, Assú, Caicó, Patu e Pau dos Ferros. São aproximadamente 10 mil estudantes em 59 cursos de graduação, que formam, em média, 1.500 profissionais por ano. Em 53 anos de existência, a Universidade já expediu cerca de 50 mil diplomas. A UERN também mantém 46 cursos de pós-graduação, sendo 22 mestrados e quatro doutorados.

Na educação básica, a UERN forma aproximadamente 90% dos professores das redes de ensino do interior do Estado, com a oferta de licenciaturas em todas as áreas do conhecimento. Na saúde, através do curso de medicina, são ofertados atendimentos gratuitos em diversas especialidades em seus ambulatórios, sendo, em algumas especialidades, o único local a oferecer o serviço à população em Mossoró. A UERN também atua no atendimento às pessoas em situação de rua e possui, na Faculdade de Enfermagem, em Mossoró, o Ambulatório LGBTQIA+.

No meio ambiente, destaca-se pelo projeto Cetáceos da Costa Branca, que monitora toda a costa potiguar, no resgate e tratamento de animais marinhos. O projeto foi responsável pelo maior salvamento de baleias da espécie “falsa orca” registrado no mundo, ocorrido na praia de Upanema, em Areia Branca, em 2013, quando 30 baleias encalharam na praia, e com a ajuda da população, o projeto conseguiu devolver 23 ao mar.

Atualmente, aproximadamente 80% dos estudantes da UERN são oriundos de escola pública. A Universidade também reserva cotas para pessoas pretas, pardas e indígenas e garante o argumento de inclusão regional, um bônus na nota do Enem, para estudantes que cursaram ensino fundamental e médio no Rio Grande do Norte.