Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

Geoparque Seridó passa a integrar rede global da Unesco


O Geoparque Seridó recebeu o reconhecimento de território de relevância geológica internacional pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (13), com oito adições ao mapa, que soma 177 geoparques em 46 países. O Brasil ainda teve a entrada do Geoparque Caminhos dos Cânions do Sul, na região Sul, e foi o único país com mais de um território integrado à Rede Global de Geoparques.

Com o nome da região potiguar, o Geoparque Seridó é território rico nos aspectos naturais e culturais, que envolve seis cidades: Acari, Carnaúba dos Dantas, Cerro Corá, Currais Novos, Lagoa Nova e Parelhas. São mais de 100 mil pessoas vivendo na região do geoparque.

Os trabalhos ainda embrionários em torno da ideia de um geoparque no sertão do Rio Grande do Norte foram iniciados em 2010. O projeto foi abraçado pela população seridoense, de acordo com o coordenador científico, Marcos Nascimento, que é professor de Geologia da UFRN.

O Geoparque Seridó abrange uma área de 2.800 km² e tem uma das maiores minas de scheelita da América do Sul, um importante minério de tugstênio. As formações geológicas são testemunhas dos últimos 600 milhões de anos da história da Terra e nas suas rochas têm registros de povos antigos que viveram por lá há 10 mil anos.

O reconhecimento da Unesco distingue a importância do patrimônio geológico internacionalmente e destaca a conservação, a educação e também o desenvolvimento sustentável, por meio do turismo, nas atividades realizadas.

Além dos dois novos geoparques brasileiros incluídos à rede global, o Geoparque Araripe, no Ceará, foi o primeiro do país a fazer parte, em 2006.