Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

GARIBALDI: “LULA E GLEISI QUEREM WALTER COMO VICE DE FÁTIMA"


O ex-senador Garibaldi Filho, pré-candidato a deputado federal pelo MDB, conversou com o portal sobre o jantar que participou nesta segunda-feira (11), em Brasília, com o ex-presidente Lula (PT), na casa do ex-senador Eunício Oliveira (MDB-CE).

Do RN, também estavam no jantar, o senador Jean Paul Prates (PT) e o deputado federal Walter Alves, provável vice da governadora Fátima Fátima Bezerra (PT) na disputa pela reeleição.

“Lula e Gleisi querem Walter como vice de Fátima e estão trabalhando nisso”, disse Garibaldi.

Da ala do MDB, também compareceram, Renan Calheiros – senador pelo MDB de AL; Marcelo Castro – senador pelo MDB do PI; Rose de Freitas – senadora pelo MDB do ES; Nilda Gondim – senadora pelo MDB da PB; Veneziano Vital do Rêgo – senador pelo MDB da PB; Isnaldo Bulhões – líder do MDB na Câmara; Edison Lobão – ex-senador pelo MDB do MA.

Antes desse jantar, Lula já tinha tido um encontro com o ex-presidente José Sarney.

Fritura de Simone Tebet

O jantar com essa ala do MDB foi visto pela impressa nacional como uma fritura a pré-candidatura à Presidência da República da senadora Simone Tebet (MDB-MS).

“Não estamos fazendo um jantar para boicotar em absoluto a candidatura da senadora Simone. Não tem nenhuma traição”, disse Eunício antes do jantar, de acordo com o site Poder 360.

“Cortamos a bancada em quase 50% com uma candidatura natimorta”, afirmou ele. O ex-presidente do Senado disse que apoia as mulheres na política, e que gostaria que Simone tivesse “viabilidade política e eleitoral”. “Há uma tendência natural de nós não irmos mais uma vez para um suicídio político”, declarou ele. A referência é à eleição de 2018, quando o partido lançou Henrique Meirelles à Presidência e conseguiu 1,2% dos votos.

Depois do jantar, o deputado e líder do MDB na Câmara, Isnaldo Bulhões (AL), declarou que o “maior objetivo” do encontro é o “presidente Lula expressar a necessidade de uma grande união de centro-esquerda”.

“Eu acho que não tem espaço para crescimento de nenhuma candidatura da 3ª via”, disse Renan Calheiros. Ele afirmou que todos os partidos desse campo terão dificuldade para lançar candidatos com mau desempenho nas pesquisas.