Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

Durante encontro com governadora Fátima, presidente do COB propõe parceria com esporte do RN


Em visita de cortesia à governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Paulo Wanderley Teixeira, propôs parceria para trazer ao Estado o programa “Transforma”, que leva às crianças, na primeira infância, em escolas públicas e em todas as disciplinas, os valores olímpicos. “Os professores têm acesso às informações através do nosso ensino à distância e não custa nada, eles vão se preparar e poderão transmitir esses conhecimentos para a criançada”, informou ele.

A governadora Fátima Bezerra disse que Paulo Wanderley chegou “num momento muito auspicioso, diante da iniciativa que estamos adotando no Rio Grande do Norte para a promoção, valorização e fortalecimento do esporte”.

Fátima Bezerra expôs ao presidente do COB sobre o pioneirismo do Estado, que “pela primeira vez conta com uma lei de incentivo ao esporte, porque até então só existia para a cultura”. Ela exemplificou que o seu governo também vem prestando apoio financeiro ao esporte por intermédio do programa “Nota Potiguar”, por exemplo, aos dois principais times de futebol de Natal, ABC e América. “Foi fundamental para que sobrevivessem e reconhecessem isso de público”, disse.

Fátima Bezerra ainda destacou para o presidente do COB, que o governo “fez um gol de placa”, porque também vai apoiar o esporte feminino pela primeira vez, “para garantir que as mulheres participem de competições em nível nacional”.

Paulo Wanderley também conversou com o vice-governador Antenor Roberto, a quem disse que o COB é uma instituição de 108 anos, mas que “poucas pessoas conhecem, inclusive o pessoal do esporte”.

Mesmo com a dificuldade de recursos, Antenor Roberto disse o governo tem promovido uma política de integração entre diversos órgãos, “por isso já estamos chegando a ter resultados iniciais” com apoio a projetos, que não tenham a cultura de um atendimento individualizado: “Também não há mais espaço para o amadorismo, no esporte sim, mas não no funcionamento das instituições, porque as regras agora exigem cada vez mais transparência na aplicação de recursos”.

O presidente do COB nasceu em Caicó, em 1950, mas na infância sua família se mudou para Vitória (ES). É o primeiro potiguar na presidência do Comitê Olímpico do país, tendo assumido o cargo em 2017, decorrente da renúncia de Carlos Arthur Nuzman. Na sua gestão o Brasil alcançou os melhores desempenhos em Jogos Pan-Americanos (Lima, 2019), quando terminou em segundo lugar no quadro geral de medalhas (54) e em Jogos Olímpicos (Tóquio, 2020), quando conseguiu 21 medalhas, sendo sete de ouro, seis de prata e oito de bronze.

O subsecretário estadual de Esporte e Lazer, Francisco Canindé de França, apresentou o calendário esportivo do Rio Grande do Norte ao presidente do COB, que reflete uma ação integrada do governo do Estado, “fruto de todo um trabalho coletivo que vai desenvolver 22 eventos relacionados às áreas escolar, paradesporto e amadora e envolvendo 100 mil pessoas em 2022 em todos os 167 municípios”.

O COB já desenvolveu ações no Rio Grande do Norte como a etapa nacional do Jogos da Juventude, em 2018, que reuniu 5.660 participantes e, no mesmo ano, ocorreu a etapa regional, com 1.259 competidores. Em 2019, o COB voltou a apoiar a etapa regional dos Jogos da Juventude, reunindo 1.320 atletas.

Neste ano, estão previstos os Jerninhos, jogos escolares para alunos de sete a dez anos, em 16 modalidades, com expectativa de reunir cinco mil alunos de 40 municípios, entre maio e junho. Os Juverns, Jogos Escolares para alunos de 12 a 17 anos, com 17 modalidades e participação de 12 mil estudantes de 30 municípios nos meses de junho a agosto.

Outra competição dentro do calendário esportivo é Jerns 50 anos, que são os Jogos Escolares de alunos na faixa etária dos dez aos 18 anos, com 33 modalidades e participação de 50 mil estudantes em 160 municípios entre agosto e outubro.

Também ocorrerão os Jogos Paradesportivos Escolares para atletas entre dez e 18 anos, em seis modalidades, com a expectativa de participação de 500 alunos em 50 municípios, em julho.

Com a participação de dez estados, o calendário esportivo ainda contará com a Paralimpíadas Escolares 3, e participação de atletas de dez a 18 anos, em quatro modalidades, em agosto. Em maio, está previsto o Festival de Inclusão para 1.800 crianças em 100 municípios.