Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

Após 10 anos, RN volta a realizar transplante de coração


Claudionor Ferreira, de 62 anos, passou pelo procedimento neste domingo (27) em Natal. Órgão foi doado por um homem de 32 anos que morreu em acidente de moto em Mossoró.

O aposentado Claudionor Ferreira, de 62 anos, ganhou uma nova esperança neste fim de semana. O homem passou neste domingo (27) por um transplante de coração, o primeiro realizado nos últimos 10 anos no Rio Grande do Norte.

A cirurgia aconteceu no Hospital Rio Grande, que é o único no estado habilitado pelo Ministério da Saúde para realizar esse procedimento.

O coração doado era de um homem de 32 anos, que se envolveu em um acidente de moto em Mossoró, na Região Oeste potiguar, e teve a morte cerebral confirmada.

Por volta das 13h do domingo, então, a equipe do Hospital Regional Tarcísio Maia iniciou a captação do órgão. A partir desse momento, a corrida das equipes foi contra o tempo, já que o coração precisa ser implantado em no máximo 4 horas.

O órgão foi transportado imediatamente pelo avião do Estado em parceria com a Força Aérea Brasileira (FAB). Ao chegar em Natal, o coração seguiu para o Hospital Rio Grande.

Antes mesmo da chegada do coração, o procedimento de transplante já é iniciado. O paciente é colocado em ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), ou seja, a circulação do sangue e oxigenação do sangue é feita por uma máquina, e a equipe médica monitora a localização do coração por GPS.

Pouco depois das 14h, o novo coração de Claudionor chegou ao centro cirúrgico. Os médicos avaliaram o órgão e confirmaram que estava pronto para o transplante.

O transplante foi concluído às 15h17, já com o novo coração batendo no aposentado. Ao fim do procedimento, a equipe médica realizou uma oração para agradecer ao doador e à família dele.

A cirurgia, aguardada na fila de transplantes do SUS, é uma nova esperança para Claudionor Ferreira, que já havia realizado outras operações anteriormente e não conseguiu uma evolução no quadro de insuficiência cardíaca que apresenta.

Ao fim da operação no domingo, o aposentado, ainda no hospital, conseguiu se encontrar com as filhas, que o aguardaram durante todo o procedimento.