Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

Governo do RN investe R$ 81,1 milhões via AGN para apoiar empreendedores


Quando se fala em empreender, o acesso ao crédito facilitado e em condições adequadas para os perfis dos empreendimentos faz diferença para o sucesso do negócio. Para contribuir para um ecossistema de empreendedorismo cada vez mais fértil, o Governo do RN investiu através da Agência de Fomento do RN (AGN-RN) mais de R$ 81,1 milhões em crédito para impulsionar negócios no estado entre 2019 e 2021.

O volume de recursos investidos por ano cresceu até alcançar o resultado de R$ 81.157.082,027 para o triênio 2019-2021. No período, 18.898 empreendedores formais e informais foram atendidos com financiamento dentre as diversas linhas de crédito disponibilizadas pela instituição. A projeção é de que cerca de 28.347 mil postos de trabalho foram mantidos/criados a partir dos financiamentos realizados.

No primeiro ano, foram R$ 18,4 milhões investidos, saltando no ano seguinte para R$ 28,5 milhões e alcançando em 2021 a marca histórica de R$ 34,2 milhões para um total de 6.908 empreendedores atendidos em todo o território norte-rio-grandense.

Em 22 meses de pandemia, levando em conta o período de 24 de março de 2020 até 31 dezembro de 2021, foram 12.025 empreendedores atendidos com financiamento para um volume total de R$ 58,9 milhões investidos na economia através de financiamento. O desempenho no período supera resultado obtido pela própria instituição no intervalo entre 2015 e 2018.

A performance também é demonstrada pela margem de clientes que buscam a instituição e conseguiram crédito em 2021, por exemplo. Mais de 51,5% dos empreendedores que buscaram a AGN conseguiram financiamento, número supera em quase três vezes média nacional. O desempenho geral na concessão de financiamentos advém de uma série de medidas tomadas pela direção executiva da instituição, sob o comando da diretora-presidente Márcia Maia, e sob a orientação da governadora e professora Fátima Bezerra.

“Os resultados alcançados são frutos da política de abertura do crédito de forma cada vez mais simplificada e próxima do empreendedor, bem como, da possibilidade de novos segmentos da economia encontrarem linhas de crédito adequadas às suas realidades. Além disso, temos aprimorado cada vez mais os processos internos da instituição, nossa presença digital e também física, com o atendimento nos municípios com nossa equipe técnica e parceiros, enfim, buscamos seguir as orientações da governadora Fátima Bezerra em estar cada vez mais perto do empreendedor, um governo e uma gestão próxima de quem precisa”, afirmou a diretora-presidente da AGN-RN.

Ao longo dos últimos três anos, a instituição tem ampliado sua atuação e encerrou 2021 com atendimento por meio de linhas diversas aos setores da Agricultura Familiar, Artesanato, Comércio, Cultura, Economia Solidária, Indústria, Juventude Empreendedora, Pesca, Serviços, Turismo.

Confira as principais ações da AGN no triênio 2019-2021

• Reestruturação administrativa na instituição;
• Linha criada em parceria com Sedraf destinada à Agricultura Familiar;
• Linha criada para atender o segmento da Pesca;
• Linha criada em parceria com a FJA destinada à Cultura e Artesanato;
• Linha criada em parceria com a Sethas destinada à Economia Solidária;
• Linha criada em parceria com a Semjidh destinada à Juventude Empreendedora;
• Linha criada em parceria com a Setur destinada a informais e MEIs da cadeia produtiva do Turismo;
• Habilitação junto ao MTur para operação da linha de crédito do Fungetur para o Turismo;
• Garantia de recursos exclusivos para setor de bares, restaurantes e atividades ligadas ao Turismo;
• Habilitação junto ao Sebrae para operar o Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas;
• Retomada da operação de recursos com linha de crédito via Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE);
• Simplificação de processos e documentação para diversos setores;
• Elaboração de plataforma online própria para facilitar o acesso ao crédito;
• Atendimento via Whatsapp;
• Ampliação de parcerias junto ao Sebrae, CDLs, Prefeituras, Associações ligadas ao setor produtivo e outras instituições;