Header Ads Widget

anigif.gif

Emparn registra chuva em 93 municípios potiguares e Parelhas acumula 81 milímetros de água em 24 horas


Em um dia, cidade da região central teve volume de chuva quase quatro vezes maior que o esperado para o mês inteiro. Entre quarta (12) e quinta (13), houve chuva em todas as regiões do RN.

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) registrou chuvas em 93 municípios do estado entre às 7h de quarta-feira (12) e 7h desta quinta-feira (13), segundo boletim publicado pela manhã.

As chuvas ocorreram em todas as regiões do estado, com destaque para a região Central do estado. O maior volume foi registrado no município de Parelhas, com 81,2 milímetros. A média esperada para o mês inteiro de janeiro era de 26,8 mm no município.

Em Caicó, a chuva provocou alagamentos em vários bairros da cidade.


Ativar som

Ruas ficam alagadas após fortes chuvas em Caicó, RN

No Oeste Potiguar os maiores volumes ocorreram em Umarizal (75mm) e Riacho da Cruz (54mm).

“A Zona de Convergência Intertropical está atuando no Rio Grande do Norte trazendo condições favoráveis para chuvas”, explicou o chefe da unidade de Meteorologia, Gilmar Bristot.

Chuvas de janeiro

Mesmo com a quadra chuvosa do semiárido ocorrendo somente a partir de março, o mês de janeiro de 2022 vem registrando bons volumes de chuva e boa distribuição em todas as regiões do RN, segundo a Emparn.

Inmet emite alerta de chuvas intensas em todo o Rio Grande do Norte

A análise inicial das chuvas acumuladas no estado, até esta quinta-feira (13), apontam 62 municípios com chuvas normais, 37 acima do normal, 8 são considerados chuvosos, 29 secos e 7 muito secos.

Em alguns municípios já choveu mais do que o previsto para o mês inteiro, como em Venha Ver com 142 mm; Senador Elói de Souza, com 119,4mm; e até mais do que o ano de 2021 inteiro, como foi o caso de Nova Cruz, São José do Campestre e Santa Cruz.

“A previsão para o mês de janeiro de 2022 é de chuvas com volumes de normal a acima do normal. Na próxima semana está programada reunião com os meteorologistas do Nordeste para a análise da previsão climática dos próximos meses”, disse Bristot.