Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

Exportações potiguares têm queda de 46,4% no mês de novembro


O volume de exportações do Rio Grande do Norte sofreu uma baixa acentuada no penúltimo mês do ano. Em novembro, o estado exportou US$ 51,7 milhões, uma diminuição de 46,4% em comparação com o total exportado em outubro, quando o volume comercializado foi de US$ 96,5 milhões. As compras internacionais também caíram no mês. As importações tiveram uma redução de 10,7% em relação ao mês anterior, caindo de US$ 35,8 milhões para pouco mais de US$ 32 milhões. Apesar de a balança comercial ter encerrado o mês com superávit de US$ 19,6 milhões, o saldo é 67,6% menor que o de outubro deste ano.

Isso é o que revela a edição, referente a novembro, do Boletim da Balança Comercial do RN, um informativo elaborado mensalmente pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae no Rio Grande do Norte com base nas informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Economia. O boletim acompanha a evolução do comércio exterior do estado mês a mês, assim como as operações de compra e venda de mercadorias no mercado internacional durante série histórica, que leva em consideração os cinco últimos anos. O material está disponível para consulta e download no Portal do Sebrae (www.rn.sebrae.com.br).

De acordo com a publicação, os principais produtos exportados no mês passado foram os melões (US$ 20,9 milhões), que voltaram a liderar a pauta de exportações potiguar, as melancias (US$ 9,5 milhões), açúcar (US$ 4,4 milhão), produtos de origem animal (US$ 1,7 milhões) e mangas (US$ 1,3 milhão), resultando, juntamente com outras mercadorias, um total de US$ 51,7 milhões. No acumulado do ano, as exportações potiguares somam US$ 454,4 milhões, contra US$ 262,9 milhões acumulados no mesmo período do ano passado.

Já as importações também tiveram uma queda de 10,7% em novembro, chegando a um volume de US$ 32 milhões. O item mais importado no mês passado foram os painéis fotovoltaicos comprados principalmente da China. Esses produtos totalizaram em importações pouco mais de US$ 8 milhões. Os coques de petróleo ficaram na segunda posição na pauta de importação do estado com um volume negociado de US$ 6,8 milhões.

O trigo e as misturas com centeio comprados no país vizinho, a Argentina, totalizaram US$ 3,4 milhões em importações dessas mercadorias. O Rio Grande do Norte acumula no ano um volume de importações da ordem de US$ 295,9 milhões. No mesmo intervalo de 2020, o volume foi de US$ 164,7 milhões em importações.

Com isso, o saldo da balança comercial do estado em novembro fechou com um superávit de US$ 19,7 milhões, bem abaixo do saldo registrado no mês anterior, que foi de US$ 60,7 milhões. Porém, a balança comercial acumula um superávit no ano de US$ 158,6 milhões.