Header Ads Widget

anigif.gif

Confirmado primeiro caso de coinfecção de paciente com vírus da Influenza A e Covid-19 no RN


Sesap orienta população a também procurar vacinação contra a gripe nos postos de saúde.

A Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) confirmou neste sábado (18) que identificou o primeiro caso de coinfecção de Sars-CoV-2 (o vírus da Covid-19) e Influenza A H3N2 (gripe) no estado.

A paciente identificada com os dois vírus tem 28 anos e mora no município de Governador Dix-Sept Rosado, na região Oeste potiguar.

O teste foi realizado pelo Laboratório Central Dr Almino Fernandes, nesta sexta-feira (17), e registrou a presença tanto do vírus da Covid-19 como o da gripe na paciente.

Segundo o diretor administrativo do Lacen, o biomédico Derley Galvão de Oliveira, a coinfecção dos dois vírus já pode ter ocorrido com outros pacientes potiguares, porém essa é a primeira vez em que foi confirmada em teste laboratorial.

Ele também explicou que o resultado foi possível graças ao recebimento de um novo kit multiplex, em novembro, que permitiu a identificação também de Influenza, durante o teste contra Covid-19.

"Não significa necessariamente que a pessoa está com as duas doenças ao mesmo tempo, porque o vírus pode ser detectado até 90 dias após a infecção. A gente não pode afirmar que a pessoa está com os dois vírus circulando, mas apenas que houve a presença do material genético dos dois vírus", explicou o profissional.

Aumento de casos de Influenza

Ainda de acordo com ele, somente no mês de dezembro já foram detectadas 93 amostras de Influenza A no setor de Biologia Molecular do Lacen. Destes, foram "subtipadas" 37 amostras, todas com resultado para a Influenza A H3N2. Vários estados do país já registraram aumentos de casos da doença em dezembro.

"A gente percebe neste último mês um aumento de casos de Influenza A, que vem acontecendo no país todo. É um sinal de alerta, porque isso mostra o cenário epidemiológico em que além da Covid, as pessoas devem ter cuidado com outros vírus respiratórios, dentre os quais a Influenza. É preciso que as pessoas mantenham as medidas não farmacológicas como lavar as mãos, usar máscaras, evitar aglomerações, se possível, e procurarem também a vacinação para influenza", considerou.

Ainda de acordo com o Lancen, a coinfecção encontrada é de "alta relevância" para monitoramento dos casos. A amostra será enviada à Fiocruz, no Rio de Janeiro, para passar por sequenciamento, a fim de que o estado identifique a cepa circulante e possa realizar um planejamento com relação á vacinação.

De acordo com a Sesap, não é possível realizar o teste de Influenza em todos os casos negativos de covid-19 pela complexidade do método e pela ausência de kits suficientes na rotina. O estoque atual enviado pelo Ministério da Saúde deve acabar nos próximos dias e limitar quantidade e velocidade na liberação de resultados da Influenza.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde recomendou que a população procure a vacinação contra a Influenza.

"A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) alerta à população para o aumento de síndromes gripais com maior circulação de vírus respiratórios (Influenza) no estado do Rio Grande do Norte. A Sesap reforça a necessidade da imunização com as vacinas contra a Covid-19 e a Influenza, disponíveis em todos os municípios. O estado distribuiu 200 mil doses da vacina contra a Influenza na segunda-feira (13) para reforçar o trabalho de imunização dos potiguares", informou.