Header Ads Widget

728x90px

Alecrim: futuro presidente do “Periquito” terá como prioridade categorias de base


Rumo ao quarto ano longe da primeira divisão do futebol potiguar, o Alecrim, um dos clubes mais tradicionais do RN, está em busca de recomeço. O Agora RN entrevistou o futuro presidente do time alviverde, Luís Henrique Saldanha, que é o único candidato à presidência do clube, e por isso, comandará a equipe durante o biênio 2022-2023.

Presente no clube desde 2013, Luís ajudou o “Periquito” de forma voluntária ao longo do tempo, em questões jurídicas. O advogado relatou como o clube funciona atualmente: “Hoje em dia, o Alecrim é composto por conselheiros e sócios amigos, que tentam ajudar uns aos outros naquilo que podem, seja com trabalho ou com questões financeiras.”

Para a próxima temporada, o próximo presidente do alviverde apostará na base. As “pratas da casa” serão o diferencial dentro e fora dos gramados: “O nosso plano é investir nas categorias de base, que pode segurança a longo prazo sem comprometer financeiramente, que é o que se fazia antes com grandes contratações. O Alecrim quer ser um clube formador, um clube revelador de atletas. E essa meninada da base tá com muita vontade de atuar, de aparecer. O Alecrim é uma boa vitrine, e isso será bom tanto para os jogadores quanto para o clube, e inclusive para os eventuais investidores.”

A segunda divisão potiguar, que será disputada pelo Periquito em 2022, só permite 5 jogadores acima dos 23 anos por partida.

Luís Henrique também comentou sobre as finanças do clube, que segundo ele, estão em dia: “O clube está com as dívidas sanadas. O que existia antes eram dívidas trabalhistas. Em 2019, fizemos vinte acordos trabalhistas, que foram resolvidos naquela época. Na parte fiscal, só há uma pendência, que está sob controle. Fizemos o parcelamento e estamos pagando de forma regular.”

“Hoje, falta receita a nossa saúde financeira. Recebemos ajudas que não são regulares, mas são ajudas. E a gente se organizando, acredito que vai dar para fazer um bom ano 2022, preparando para que o ano de 2023 seja melhor ainda. Isso é um trabalho a longo prazo.”

O futuro mandatário do time alviverde vê no próximo ano uma temporada de transição. Para ele, a reestruturação do clube é o principal objetivo do novo biênio: “A gente pretende fazer um trabalho, e fazendo um bom trabalho, o resultado é consequência. Se a gente conseguir organizar a casa, e começar a ter um trabalho de base regular, constante, de forma que englobe esse pessoal, o resultado positivo é muito forte de vir.”

“É lógico que todo mundo quer voltar a elite do futebol potiguar, mas o resultado positivo não está apenas nisso. Existem outros projetos no Alecrim que se conseguirmos realizar, vai ser um ano vitorioso. O Alecrim vai vir com uma nova roupagem, com uma nova identidade e com um perfil que vai tentar resgatar os antigos torcedores e fomentar a criação de novos torcedores, através do sócio torcedor.”