PUBLICIDADE

728x90px

Movimentação econômica no RN cresce 2,9% e indica aquecimento para o fim do ano


A quantidade de operações de vendas nos principais setores econômicos do Rio Grande do Norte continua em uma curva crescente e desde o início deste segundo semestre tem ultrapassado o patamar de um milhão de transações feitas em média por dia. Em outubro, o número de vendas atingiu um montante médio de 1,04 milhão de operações diárias. Com isso, os setores chegaram a movimentar R$ 3,8 bilhões no mês passado, o que equivale a um volume médio de R$ 380,3 milhões em vendas por dia. Isso representa um crescimento de 2,9% em relação a setembro, quando o faturamento médio diário das empresas que efetivaram negociações comerciais foi de R$ 369,4 milhões por dia.

Esses são alguns dos indicadores contidos 24ª edição do Boletim Mensal da Receita Estadual, divulgada nesta terça-feira (16) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN). O informativo apresenta dados sobre o faturamento das empresas e a movimentação dos setores analisados, bem como o desempenho no recolhimento de tributos estaduais. A publicação está disponível para consultas e download no site www.set.rn.gov.br/.

Na avaliação do secretário Estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier, as informações sobre a movimentação econômica do estado no décimo mês do ano são animadoras. “Esses números revelam que a economia do estado continua em um ritmo crescente e que os níveis de produção e vendas permanecem em alta. Esses fatores só indicam que teremos boas vendas em novembro e dezembro, os meses que tradicionalmente mais se registra alta nas vendas ao consumidor final. Tudo indica que deveremos ter um excelente ciclo natalino em 2021”, comemora.

Isso porque os dois setores – indústria e atacado – que servem de termômetro para medir o aquecimento do comércio varejista e disposição da população ao consumo permanecem com níveis de produção e comercialização estáveis. De setembro para outubro, tanto a indústria quanto o segmento atacadista registraram leves baixas, porém, mantiveram a curva de faturamento acima da casa dos R$ 50 milhões negociados por dia. Em outubro, o faturamento médio diário da indústria de transformação diminuiu de R$ 54 para R$ 51,9 milhões. No atacado, houve redução de R$ 60 milhões para R$ 59,2 milhões em média por dia no mesmo período.

Avanço do varejo

Com a produção em ritmo continuo, o comércio varejista responde à altura. O número de vendas no varejo potiguar em outubro saltou de 27,6 milhões para 29,2 milhões de operações feitas diariamente. O volume faturado pelas empresas do setor também cresceu proporcionalmente no mês e passou de R$ 91,7 milhões para R$ 92,20 milhões vendidos em média ao dia.

Em relação à arrecadação de impostos, o informativo da Receita Estadual mostra as receitas totais voltaram a crescer em outubro após amargar uma redução no mês anterior. A arrecadação registrou um aumento de 0,8% em relação a setembro com um total de R$ 624 milhões. Em setembro, o volume foi de R$ 619 milhões. No entanto, o crescimento é mais expressivo na comparação com outubro do ano passado: 13% como resultado da evolução de R$ 551 milhões para R$ 624 milhões.

O acréscimo no volume das receitas próprias do estado foi ocasionado principalmente pela alta na arrecadação de ICMS. Em outubro, o Rio Grande do Norte recolheu R$ 600 milhões só com esse tributo, que é a principal fonte das receitas estaduais. Em setembro, o recolhimento deste imposto havia sido de R$ 584 milhões. Isso é equivalente a um aumento de 14% em relação a outubro de 2020, quando o RN arrecadou R$ 528 milhões com esse mesmo tributo.