PUBLICIDADE

728x90px

Sesap reverte UTIs Covid e Hospital Tarcísio Maia passa a ter 30 leitos para atendimento geral


Unidade hospitalar salta de nove para 30 leitos de UTI Geral destinados pacientes acometidos por outras patologias

O Governo do RN anunciou nesta sexta-feira (6) que reverteu mais leitos de UTI Covid no Hospital Tarcísio Maia, em Mossoró, que agora passa a contar com 30 leitos de UTI para atendimento de outras doenças.

O número, segundo a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), é mais que o triplo das nove UTIs que o hospital tinha antes da pandemia. Além disso, há outros cinco leitos semi-intensivos.

A unidade hospitalar atende pacientes de toda a região Oeste e tem sido utilizado durante toda a pandemia também no combate à Covid-19.

Segundo a Sesap, a reversão dos leitos é possível devido à redução no quadro pandêmico no Rio Grande do Norte e a evolução da campanha de vacinação.

“Isso é um feito. É mais do que triplicar a oferta de leitos de UTI Geral. É ampliação do acesso para os usuários”, disse a secretária-adjunta de Saúde, Maura Sobreira.

De acordo com o Regula RN, nesta sexta-feira (6), a Região Oeste está com cerca de 39,7% de ocupação dos leitos de UTI. Há exato um mês, a região Oeste registrava uma taxa de ocupação por volta dos 73%. Em junho, era 99%.

A unidade permanecerá com leitos clínicos, porém diante da redução na taxa de ocupação, está passando a atender a demanda de UTI Geral.

De acordo com o Laboratório de Informação Tecnológica em Saúde (LAIS), a média móvel de caso é de 2,86 em Mossoró atualmente. Há um mês, eram 40,5 casos/dia e há dois, eram 110.

Já em relação à média móvel de óbitos confirmados nos 7 dias dia, caiu de 1,71, em 06 de junho, para 0,14 óbitos/dia.

Segundo o RN + Vacina, em Mossoró, mais de 157 mil pessoas receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, correspondendo a 69% das pessoas vacinadas. Outras 56 mil pessoas estão totalmente vacinadas, equivalente a 25% de pessoas do município.

Panorama

Com a queda nos indicadores da pandemia, o estado começou a reverter leitos no mês de julho. Além disso, outros contratos, como os com hospitais particulares, estão se encerrando e não serão renovados diante da diminuição do número de internados.

Durante o pico da pandemia mais de 880 leitos Covid entre críticos e clínicos estiveram destinados ao atendimento de pacientes com a Covid-19. Hoje, são 652 leitos e parte desses leitos foram revertidos para outras patologias. Mesmo com a transformação dos leitos, a taxa de ocupação no estado vem se mantendo abaixo dos 40%.

“Todo o planejamento, incluindo o monitoramento dos estoques de insumos disponíveis, vai permitir a vazão, de forma gradativa, da fila de espera por cirurgias”, falou a secretária adjunta da Sesap, Maura Sobreira.

Embora não tenham sido suspensas em sua totalidade, o ritmo de realização dessas cirurgias precisou ser alterado em virtude das mudanças no cenário pandêmico da Covid-19, diante da necessidade de garantir leitos e insumos para as vítimas do coronavírus, além de preservar a segurança de pacientes e profissionais de saúde.

Reversões

Nesta semana, foram revertidos leitos nos municípios de Santo Antônio, Apodi, João Câmara, São Paulo do Potengi, Pau dos Ferros, Mossoró e Macaíba.

No Hospital João Machado, em Natal, 20 leitos de UTI Covid já foram revertidos em leitos de UTI Geral. No Hospital Coronel Pedro Germano (Hospital da PM) a reversão foi de dez leitos, mesmo número do Hospital Regional Telecila Freitas Fontes, em Caicó. No Hospital Regional Alfredo Mesquita, localizado em Macaíba, 10 leitos de UTI Covid estão sendo revertidos hoje em leitos de UTI geral.