PUBLICIDADE

728x90px

Reservas hídricas acumulam 47,73% da sua capacidade no início de agosto


O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta quarta-feira (04), indica que as reservas hídricas superficiais totais do RN somam 2.075.939.714 m³, correspondentes a 47,73% da sua capacidade total, que é de 4.376.444.842 m³. No dia 04 de agosto de 2020, as reservas estaduais somavam 2.419.852.471, equivalentes a 55,29% do seu volume total.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.330.820.206 m³, percentualmente, 56,08% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.510 m³. No mesmo período de 2020, o manancial estava com 1.527.215.137 m³, equivalentes a 64,36% do seu volume total.

Já a barragem Santa Cruz do Apodi, segundo maior manancial do Estado, acumula 244.470.140 m³, correspondentes a 40,76% da sua capacidade total, que é de 599.712.000. No início de agosto de 2020, o reservatório estava com 206.392.610 m³, percentualmente, 34,42% do seu volume total.

A barragem Umari acumula 200.955.783 m³, correspondentes a 68,63% da sua capacidade total, que é de 292.813.650 m³. No mesmo período do ano passado, o reservatório estava com 260.835.841 m³, percentualmente, 89,08% do seu volume total.

A barragem de Pau dos Ferros acumula 27.376.082 m³, equivalentes a 49,91% da sua capacidade total, que é de 54.846.000 m³. No início de agosto do ano passado, o reservatório estava com 19.302.698 m³, correspondentes a 35,19% do seu volume total.

O açude Boqueirão de Parelhas acumula 12.698.008 m³, equivalentes a 14,98% da sua capacidade total, que é de 84.792.119 m³. No mesmo período do ano passado, o reservatório acumulava 23.588.582 m³, correspondentes a 27,82% do seu volume total.

O açude Apanha Peixe, localizado em Caraúbas, acumula 8.366.667 m³, percentualmente, 83,67% da sua capacidade total, que é de 10 milhões de metros cúbicos. No mesmo período de 2020, o reservatório estava com 9.833.333 m³, equivalentes a 98,33% do seu volume total.

Os reservatórios monitorados pelo Igarn que permanecem com volumes superiores a 90% da sua capacidade são: Riacho da Cruz II, com 92,63%; o açude público de Encanto, com 94,27%; Flechas, localizado em José da Penha, com 96,31%; Santana, localizado em Rafael Fernandes, com 93,67%; Rodeador, localizado em Umarizal, com 91,08%; Passagem, localizado em Rodolfo Fernandes, com 90,13% e o açude público de Marcelino Vieira, com 90,39% do seu volume total.

O açude público de Cruzeta acumula 1.665.428 m³, equivalentes a 7,07% da sua capacidade total, que é de 23.545.745 m³. O reservatório entrou entre os que estão em nível de alerta, com volumes acumulados inferiores a 10% das suas capacidades. Além dele, estão nesta situação, o açude Itans, localizado em Caicó, o Zangarelhas, localizado em Jardim do Seridó e o Esguicho, localizado em Ouro Branco.

Os mananciais monitorados pelo Igarn que estão secos são: Inharé, localizado em Santa Cruz e Trairi, localizado em Tangará.

Situação das Lagoas

A lagoa de Extremoz, responsável pelo abastecimento de parte da zona norte da capital, acumula 10.473.477 m³, correspondentes a 95,04% da sua capacidade total, que é de 11.019.525 m³.

Já a lagoa do Bonfim, responsável pelo abastecimento da adutora Monsenhor Expedito, acumula 41.516.589 m³, percentualmente, 49,27% do seu volume total, que é de 84.268.200 m³.

A lagoa do Boqueirão, que atende a usos diversos, acumula 9.811.064 m³, correspondentes a 88,59% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³.