PUBLICIDADE

728x90px

DJ Ivis vira réu na Justiça por agressões contra Pamella Holanda


Artista foi denunciado pela ex-mulher no início de julho e vídeo da violência viralizou nas redes sociais

No último sábado (14), Ivis completou um mês detido em decorrência das agressões cometidas. Os crimes foram registrados em vídeo e compartilhados por Pamella em julho. O DJ está preso em uma área de triagem do presídio Irmã Imelda Lima Pontes, na região metropolitana de Fortaleza.

Segundo a secretaria de Administração Penitenciária do Ceará, ele está em situação especial de segurança para garantir a integridade física dele, já que o caso teve grande repercussão.

Em nota, o tribunal afirmou que "a denúncia, ofertada pelo Ministério Público [do Ceará], já foi recebida pela Justiça estadual, que determinou a citação do acusado". O processo tramita em segredo de Justiça na Vara Única Criminal de Eusébio. Segundo o TJCE, "mais informações não podem ser repassadas por conta do sigilo do processo".

No fim do mês de julho, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, rejeitou um pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do cantor. Antes, o STJ e o TJCE já haviam negado o pedido. Também no fim de julho, DJ Ivis foi indiciado pela Polícia Civil do Ceará por três crimes. O artista irá responder por lesão corporal, ameaça e injúria.

Segundo Pamella, as agressões cometidas pelo artista começaram ainda em 2020, quando o casal passou a morar junto. "Quando comecei a morar com ele, ele já começou a me agredir. Começou verbalmente, palavrão, grosserias", disse.

Pamella não denunciou antes por vergonha. "Eu tinha medo, eu tinha vergonha. Eu estava realizando um sonho, eu estava grávida. Eu sempre quis ser mãe. A gente entra num estado de negação, porque a gente não quer admitir pra gente mesmo, a gente quer procurar justificativa, a gente se culpa. É muito difícil", explicou.