PUBLICIDADE

728x90px

Indústria aumenta demanda e procura por cursos de educação profissional dispara no RN


Na semana em que o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que a “universidade deveria ser para poucos”, no sentido de ser “útil à sociedade” e defendeu cursos técnicos capazes de formar profissionais, um levantamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial no Rio Grande do Norte (Senai RN) mostra que matrículas em cursos profissionalizantes dispararam no estado. 

E a demanda é puxada pelas indústrias têxtil e de confecções, de energias, construção civil, alimentos e bebidas, petróleo e gás. Ainda segundo a pesquisa, a maioria dos que buscam vagas de trabalho nesses setores tem ensino médio, está desempregada e é parda (junto com parcela que se declara como preta) e representam 65% do universo matriculado. 

Os cursos mais procurados têm curta duração, nas modalidades de aperfeiçoamento, especialização e qualificação e a maioria em cursos presenciais tem origem em 25 estados. Esses dados foram interpretados como sinais de busca de empregabilidade ou de avanços na carreira no curto prazo, um cenário confirmado por outra informação: 40% das matrículas registradas entre janeiro e julho no Senai RN são de pessoas desempregadas e 32,3% são de pessoas empregadas. 

Técnico em eletrotécnica é o curso com mais matrículas em 2021, considerando todas as áreas. O total de janeiro a julho é quatro vezes maior que o registrado durante todo o ano de 2020 e também supera o registrado no período de janeiro a julho de 2019 e antes, portanto, da pandemia. 

Outros cursos também registram expansão, especialmente de “Excel Básico” e costureiro industrial até Especialização técnica em energia eólica. As grandes cadeias industriais aparecem como principais desse crescimento em 2021: vestuário com mais 416,90% de matrículas em relação a janeiro a julho de 2020 e Energia Eólica, com avanço de 170%. 

Cursos voltados a ocupações indiretas nessas e em outras indústrias (áreas de gestão, segurança no trabalho, logística e TI, por exemplo) também estão entre os mais aquecidos. Entre os cursos técnicos, os de eletrotécnica (eletricistas) e segurança do trabalho lideram o ranking – e também retrata o boom da indústria de energia, a grande consumidora desse perfil de profissionais qualificados. 

O Senai RN tem cursos de energia eólica em diversas áreas, de curta e longa duração, presenciais e à distância. Eles são ofertados por meio de uma das cinco unidades da instituição no estado, sendo que o Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (CTGAS-ER) é a principal referência no Brasil nessa área. 

A lista de cursos de energia eólica inclui, por exemplo, o de Especialização Técnica em Energia Eólica; Análise de Dados Anemométricos Assistida por Software; Legislação Ambiental Aplicada à Implantação de Parques Eólicos; Medição Anemométrica para Energia Eólica; Normalização e Desempenho de Aerogeradores; Prospecção de Áreas para Implantação de Projetos Eólicos; Sistemas Elétricos Aplicados à Parques Eólicos; Tecnologia em Geração Eólica e Basic Safety Training – BST. Já na área de Energia Solar, Tecnologias e Instalações de Sistemas Fotovoltaicos e Introdução às Tecnologias de Geração Fotovoltaica.