PUBLICIDADE

728x90px

Variante delta será predominante nos próximos meses, prevê OMS


Segundo a Organização Mundial de Saúde, a cepa indiana já é presente em 124 países

A Organização Mundial da Saúde (OMS) prevê que a variante Delta, muito contagiosa e responsável por mais de 75% dos novos casos de Covid-19 em muitos países, vai se tornar a cepa predominante nos próximos meses. Detectada pela primeira vez na Índia, esta variante está agora presente em 124 países e territórios. São 13 a mais do que na semana passada, em comparação com 180 (seis a mais) para a Alfa, que surgiu no Reino Unido; 130 (sete a mais) para a Beta, identificada pela primeira vez na África do Sul; e 78 (três a mais) para a Gamma, que apareceu no Brasil.

"A expectativa é que (a variante Delta) suplante rapidamente as outras variantes e se torne a cepa dominante (da covid-19) em circulação nos próximos meses", afirmou esta agência da ONU, com sede em Genebra. Entre os países onde a variante Delta já é a causa de mais de 75% dos novos casos da doença, estão Índia, China, Rússia, Indonésia, Austrália, Bangladesh, Reino Unido, África do Sul, Portugal e Israel.

No Brasil, a variante delta já foi identificada em 110 casos, sendo que 5 evoluíram para quadro grave que resultou em morte. O Ministério da Saúde tem agora junto às secretarias de Saúde o desafio de identificar e fazer o sequenciamento genômico para mapear a presença da variante no país.

Os casos suspeitos devem ser isolados, com tratamento para aliviar os efeitos e possíveis complicações. O Ministério também solicita a notificação imediata para gerar ações de resposta em localidades onde a variante for identificada.