PUBLICIDADE

728x90px

Sputnik V chega ao Brasil em uma semana e será usada no Nordeste


Lote com 1,1 milhão de doses será aplicado com restrições e controle epidemiológico

A cidade de Recife deve receber em uma semana cerca de 1,1 milhão de doses da vacina russa contra a covid-19, a Sputnik V. Da capital pernambucana, as vacinas serão distribuídas para os demais Estados do Consórcio Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe), autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a importar os antígenos.

A aplicação do imunizante será controlada, com estudo de segurança e eficácia. Outro lote, com aproximadamente 600 mil doses, será encaminhado para os Estados do Norte, ainda sem prazo determinado.

Após chegar ao Brasil, a vacina russa deve passar por análise preliminar no Instituto Nacional de Controle de Qualidade, ligado à Fiocruz. Integrantes do Consórcio acreditam que essa análise ocorra em uma semana.

Em junho, a Anvisa aprovou os pedidos de autorização excepcional e temporária para a importação das vacinas Covaxin e Sputnik V. Os importadores dos imunizantes devem assumir todas as responsabilidades pelo uso do fármaco, uma vez que a Anvisa não concedeu registro de uso emergencial ou definitivo deles.

O uso da Sputnik V vai permitir a imunização em massa da cidade de Sousa, na Paraíba, com 69 mil habitantes. A experiência será semelhante à que ocorreu em Botucatu e Serrana, em São Paulo, com aplicação da Coronavac.