PUBLICIDADE

728x90px

Lula sobre Bolsonaro: "Ninguém quer receber a faixa presidencial de você"


Petista critica Bolsonaro e diz que o povo vai empossar o presidente eleito em 2022: "E não será você"

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou o atual mandatário Jair Bolsonaro: "Pare de ser estúpido. Ninguém quer receber a faixa (presidencial) de você. Pode deixar que o povo vai empossar o presidente eleito em 2022. E não será você", provocou o petista em entrevista a uma rádio.

As declarações do ex-presidente são uma resposta às críticas de Bolsonaro à urna eletrônica e ao processo eleitoral. O presidente já disse que entregaria a faixa presidencial ao novo vencedor, se fosse derrotado no que ele chama de "eleições limpas". Para ele, isso só seria possível com a escolha dos eleitores registrada em papel.

No início da manhã de hoje (20.jul), Bolsonaro prometeu um evento no Palácio do Planalto com "hackers do bem" que teriam evidências da vitória de Aécio Neves (PSDB) diante de Dilma Rousseff (PT).

De acordo com o TSE, todas as fases de votação já são auditáveis, com a contagem eletrônica dos votos acompanhada por integrantes dos partidos políticos em tempo real. Nenhuma fraude foi comprovada desde o início do uso do atual sistema. O retorno do voto impresso chegou a ser testado em 2002 e descartado após falhas no processo. O Supremo Tribunal Federal avalia que o retorno da medida colocaria em risco o sigilo do voto e possibilitaria a prática de compra de eleitores.

Além das críticas a Bolsonaro, Lula ainda usou a entrevista para criticar o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, que propôs mudança do sistema político brasileiro para o semipresidencialismo, a partir de 2026. "É outro golpe para tentar evitar que nós possamos ganhar as eleições", disse, se referindo erroneamente à próxima disputa eleitoral.

No semipresidencialismo, como ocorre em Portugal e França, o presidente da República é escolhido pelo voto popular, mas a chefia de governo fica com um primeiro-ministro, de escolha parlamentar.