Header Ads Widget

728x90px

Dia da Ciência: EMPARN contribui com pesquisa em solo potiguar há 40 anos


Hoje é o dia 08 de julho, Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador. A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte- EMPARN contribui há mais de 40 anos com a pesquisa no solo potiguar em diversas áreas como meteorologia, produção animal, produção vegetal, aquicultura, biotecnologia, melhoramento genético animal e vegetal.

Mesmo em tempos de pandemia, a pesquisa não parou. Pesquisas sobre os recentes ataques do pulgão-amarelo da cana-de-açúcar nas plantações de sorgo forrageiro no território potiguar e suplementação energética com palma forrageira com caprinos e ovinos são algumas em andamento.

“Adotando as medidas sanitárias necessárias nos tempos atuais, os projetos de pesquisa e os seguimentos de produção e serviços não pararam, a exemplo do melhoramento animal e vegetal, produção de sementes, mudas, pintos de 1 dia e os serviços de meteorologia, além do atendimento do laboratório de análises de água, solo e planta se mantiveram atendendo as demandas do meio rural norteriograndense”, declarou o Diretor Técnico de Pesquisa e Desenvolvimento, Marcone Chagas.

Neste ano, a EMPARN adotou o formato online dos Seminários Técnicos mensais, oportunidade em que pesquisadores da equipe e convidados, compartilham tecnologias e informações para sociedade por meio do seu canal do youtube/Emparnrn.

Até o final do ano, o Governo do RN vai lançar um novo sistema de monitoramento hidrometeorológico, climático e agrometeorológico amplo e moderno que será um marco para a meteorologia do RN. O sistema contou com investimentos - por intermédio do Projeto Governo Cidadão, via acordo de empréstimo com o Banco Mundial-em torno de R$ 5,5 milhões. O montante foi utilizado no desenvolvimento de softwares e na aquisição de equipamentos agrometeorológicos e de Tecnologia da Informação.

Em parceria com a Fapern, a EMPARN selecionou 03 pesquisadores-bolsistas para atuarem no “Projeto de Modernização do Sistema de Gerenciamento Agroclimatológico do Rio Grande do Norte por meio de Pesquisa e Inovação”.

Os pesquisadores-bolsistas atuarão(durante 24 meses com bolsa mensal de R$ 2 mil) nas áreas de Telecomunicação de dados (Graduação: Engenharia Elétrica), Modelagem de Tempo e Clima (Graduação em Meteorologia ou Geografia) e Sistemas de informações (Graduação em Ciências da Computação/Sistema de Informação).

Entre os principais destaques nas pesquisas da EMPARN, sem dúvidas, são a produção e pesquisas realizadas com a palma forrageira (Opuntia e Nopalea), uma das poucas culturas de suporte forrageiro aos agricultores e agricultoras familiares no semiárido nos períodos de estiagem.

O Governo do RN realiza, por meio da parceria entre a EMPARN - responsável pela produção de raquetes-semente de palma tolerantes à cochonilha-do-carmim (Dactylopius opuntiae), a Emater e secretarias municipais de agricultura, a distribuição dessa forrageira beneficiando os agricultores e agricultoras do RN.

Os rebanhos bovinos possuem reconhecimento nacional pelo seu valor genético (alta produtividade e adaptação ao semiárido potiguar) fruto de quase 30 anos de seleção e pesquisas de melhoramento genético.

Publicidade