PUBLICIDADE

728x90px

"Made in RN": técnicos potiguares comemoram títulos estaduais e enaltecem profissionais da terra


Ranielle Ribeiro, Hugo Chacon e Luizinho Lopes foram campeões na Paraíba, no Rio Grande do Norte e no Amazonas. Trio valoriza conquistas e qualidade dos treinadores formados no RN


Dos 22 campeões estaduais já definidos pelo Brasil, três times eram comandados por técnicos potiguares: Ranielle Ribeiro (Campinense), Hugo Chacon (Globo FC) e Luizinho Lopes (Manaus). Para o trio, esta é uma prova que o Rio Grande do Norte possui grandes profissionais e que estes precisam de uma maior valorização.

Ranielle, 41 anos, já havia sido campeão potiguar pelo ABC em 2018 e, no Campinense, viveu a experiência de comemorar pela primeira vez um título "fora de casa". Amigo de Luizinho e Hugo, fez questão de exaltar este momento dos treinadores da terra, lembrando ainda de Renatinho Potiguar, que foi apontado como melhor técnico do Campeonato Potiguar após trabalhos no Globo FC e Santa Cruz de Natal, e que hoje está no América-RN.

- Tudo isso só demonstra a qualidade dos treinadores que estão sendo formados no Rio Grande do Norte, que não só se justifica pelos bons trabalhos que vêm realizando, mas também pelas conquistas. Dos 22 estaduais definidos, três foram conquistadas por técnicos potiguares e, ainda no mesmo campeonato (no Rio Grande do Norte), um foi campeão (Hugo Chacon) e o outro foi considerado o melhor técnico da competição (Renatinho Potiguar), assim como eu também fui considerado o melhor técnico do Paraibano - falou.

- É animador ver os profissionais crescendo, se atualizando, se modernizando e conquistando, porque a gente sabe que o futebol, infelizmente, não é só o trabalho. Você é avaliado pelas suas conquistas. Nós, treinadores do RN, estamos tendo a condição de mostrarmos isso - completou.


Hugo Chacon, 28 anos, comandou o Globo na conquista do título inédito no Rio Grande do Norte e se tornou o técnico mais jovem a ser campeão potiguar. Formado em Educação Física, com trabalhos anteriores no Alecrim e no Palmeira de Goianinha, ele enalteceu o feito da Águia de Ceará-Mirim neste estadual.

- O título do Globo coroou todo um trabalho que, desde os atletas até a comissão, diretoria, é todo composto por pessoas da terra, por pessoas do Rio Grande do Norte. Isso mais uma vez mostra a força que nós temos, que o nosso estado tem para revelar profissionais competentes do futebol. Esse título veio para deixar mais ainda em evidência que aqui no estado nós temos grandes profissionais - comentou.


Hugo Chacon se tornou o técnico mais jovem a conquistar o Campeonato Potiguar — Foto: Zé Bernardo/Globo FC

Luizinho Lopes, 39 anos, foi campeão amazonense com o Manaus. Em 2020, ele havia conquistado o Troféu Inconfidência, em Minas Gerais, com o Uberlândia. O ex-jogador, que também comandou o América-RN e o Globo, com o qual conquistou o acesso à Série C em 2017, espera ser referência para novos profissionais da área.

- É de fundamental importância essa conquista. Fico extremamente envaidecido de representar o meu estado e companheiros de profissão. Queira Deus eu tenha a oportunidade de prosperar para que possa servir de exemplo e ajudar de alguma forma os que estão por vir - ressaltou.

- Parabenizo os meus colegas Hugo e Ranielle por suas conquistas. Fico muito feliz por isso tudo. O caminho é a capacitação continuidade e coragem para desbravar esse mundão do futebol tão difícil, porém, tão prazeroso ao mesmo tempo - emendou.


Luizinho Lopes foi campeão amazonense no comando do Manaus — Foto: Divulgação

No Campinense, Ranielle conta que o Campeonato Paraibano é "disputadíssimo" e que a situação financeira do clube era difícil, com uma folha salarial bem enxuta - aproximadamente R$ 70 mil.

- Três jogadores do Botafogo-PB pagam minha folha. Mas a gente fez um trabalho muito sólido, muito concreto. Eu fui campeão invicto. O clube perdeu a primeira partida, e por isso que eu vim para substituir o Ederson (Araújo), mas eu não perdi nenhuma partida. Foram números que destacam um trabalho bem sólido, coeso e de resultado - comemorou.

Tem que valorizar

Hugo Chacon aponta que a valorização dos profissionais da terra pode ser fundamental para que os maiores clubes do estado reencontrem o caminho das glórias.

- Eu acredito que a reformulação do futebol do nosso estado, a melhor forma de fazer com que os clubes voltem aos seus devidos lugares, com América-RN e ABC, principalmente, disputando Série B ou Série A, é acreditar mais ainda nos nossos atletas, nos nossos profissionais. É dar oportunidade para quem é daqui, já que quem é daqui tem a paixão, tem o desejo de crescer com os clubes, coisa que nem sempre a gente consegue observar com pessoas que vêm de fora - afirmou Hugo.

- Quem vive aqui sente a pressão, sente o calor do povo daqui e, principalmente, sente a cobrança. E isso faz com que seja um grande diferencial de motivação para os profissionais daqui - concluiu.