Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

Governo do RN dá início a estudos para construção de porto-indústria no mar


Projeto terá prazo de execução de 18 meses e vai abranger um conjunto de análises econômicas e ambientais.


O Governo do Rio Grande do Norte assinou um convênio para dar início a estudos que visam a construção de um porto-indústria eólica no mar. O investimento previsto na elaboração do projeto é de R$ 1,1 milhão.

O acordo foi firmado nesta quinta-feira (20) entre a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) e Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (Funpec) será a entidade responsável pela execução dos estudos.

Com prazo para execução em 18 meses, o projeto vai abranger um conjunto de estudos econômicos, ambientais e de toda a cadeia de valor, visando o desenvolvimento tecnológico da infraestrutura portuária para suporte ao setor eólico offshore e múltiplos usos do estado do Rio Grande do Norte.

De acordo com o cronograma, em seis meses o projeto vai apresentar o primeiro resultado com a seleção de três áreas possíveis para o porto-indústria eólica offshore (no mar).

Para o secretário de Desenvolvimento do Estado, Jaime Calado, o projeto vai reduzir gargalos de logística no estado.

"Vai destravar tanto as exportações de sal, ferro, frutas e tantos outros produtos como vai também abarcar o futuro com a energia eólica offshore, já que temos o maior potencial no Brasil, temos as pessoas mais qualificadas e um sistema de incentivos fiscais e não podemos perder a dianteira deste processo”, afirmou.

"Certamente este é o principal limitador para atração de empresas para o Rio Grande do Norte. Este projeto é fundamental, afinal outros estados atraem as empresas na área offshores que já poderiam atuar no Rio Grande do Norte”, disse o reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Daniel Diniz.

Serão elaborados os seguintes estudos:

caracterização dos setores econômicos estratégicos do estado do Rio Grande do Norte e suas necessidades de infraestrutura portuária;
avaliação da localização do porto-indústria e estudos ambientais;
estudo de viabilidade técnico-econômica-ambiental (EVTEA) para o porto-indústria;
identificação e caracterização das partes interessadas do porto-indústria
elaboração do plano estratégico para operacionalização e para o desenvolvimento da cadeia produtiva e industrial.

O Rio Grande do Norte é o maior produtor de energia eólica no país e há alguns anos é alvo de estudos de empresas e instituições interessadas em ampliar a produção da energia dos ventos para o mar.