Header Ads Widget

728x90cm-CELULAR

Ernesto nega fala "anti-China", e Omar contesta: "Falta com a verdade"


Presidente da CPI pressiona ex-ministro para que não falte com verdade durante depoimento a colegiado

O ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo negou nesta 3ª feira (18.mai) que tenha dado declarações "anti-China" enquanto esteve à frente da pasta. O presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM), contestou sua fala, citou desentendimentos entre ele e o embaixador chinês no Brasil e disse ainda que o ex-chanceler não estava falando a verdade.  

"Tem várias declarações, posso ler aqui o seu artigo. Inclusive, Vossa Excelência faz uma alusão erroneamente de que a pandemia era pra ressuscitar o comunismo, porque deixa as pessoas em casa", ponderou Aziz. "Na minha análise pessoal, Vossa Excelência está faltando com a verdade. Então, peço que não faça isso. Porque escreveu no seu Twitter, escreveu artigos", reforçou. 

Após pressão do presidente da CPI, o ex-ministro negou que estivesse mentindo e disse que escreveu o artigo em abril de 2020 para responder a um autor marxista. Segundo Araújo, o texto não serviu para atacar a China e ressaltou que o país só foi citado "lateralmente". No entanto reconheceu o uso do termo a que atribuiu como "jocoso". 

Em resposta, Aziz ironizou a fala de Araújo. "Se Vossa Excelência acha que isso não é se indispor com um país em que nós temos uma relação comercial muito importante, então eu não entendo mais sobre como se faz relações internacionais. Chegar aqui agora e desmerecer o que Vossa Excelência já praticou e dizer aqui nesta CPI que o senhor nunca se indispôs em relação à China, aí está faltando com a verdade."