Header Ads Widget

anigif.gif

Após CPI, Queiroga reitera relevância da ciência no combate à pandemia


Ministro da Saúde diz "que não há outro caminho, se não a ciência"

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse hoje (10.mai) não haver outro caminho, se não a ciência, para lidar com os problemas históricos que o Brasil tem nas áreas sanitárias e de saúde. " "Não há outro caminho que não a ciência para que encontremos as soluções para o enfrentamento das questões sanitárias e, sobretudo, de uma situação pandêmica como esta, que felizmente não vivemos todos os dias", afirmou.

Queiroga defendeu que as ações voltadas ao combate à pandemia devem ser orientadas a partir do que diz a ciência, e que parcerias entre universidades e setor provado são relevantes no sentido de impulsionar pesquisas e inovação no país, a exemplo do que ocorre nos Estados Unidos. "Já que somos um governo liberal em relação à economia e conservador em relação aos costumes, não se cumplicia com desvio de verbas públicas que têm de ser alocadas, por exemplo, na pesquisa. Então queremos que a iniciativa privada também apoie a pesquisa", disse o ministro ao defender a participação tanto da indústria nacional como estrangeira, no cenário do fomento às pesquisas.

A declaração foi feita durante seminário online destinado ao acompanhamento de projetos que têm apoio do governo federal, visando atender às necessidades das políticas públicas e do Sistema Único de Saúde (SUS) e foi a primeira fala do ministro após sua participação na CPI da Covid do Senado.

O presidente da CPI, senador Osmar Aziz (PSD-AM), não descarta a volta de Queiroga à comissão no futuro para dar mais informações sobre o uso ou não da cloroquina no SUS.