A frágil e covarde oposição em Macau

Foto: Francisco Anthony
Portal Macauense - Segundo o dicionário covarde é uma pessoa medrosa; que demonstra covardia diante de alguém ou de uma situação específica com a qual foi confrontada. É alguém que possui convicções frágeis e está sempre fugindo do confronto para preservar a sua "falsa-realidade".

Assim sendo, não existe melhor adjetivo para classificar grande parte da oposição macauense; já que, pela segunda vez em menos de dois meses, os vereadores de oposição em Macau, fogem do embate e da confrontação de informações promovido e provocado por eles mesmos.

Ontem (14), a secretária de saúde do município de Macau, Lucianny Guerra, esteve na câmara municipal nesta sexta, prestando esclarecimentos e informações sobre o último quadrimestre de 2017 e os dois primeiros quadrimestres (janeiro a agosto) do ano de 2018. A secretária estava acompanhada das coordenadoras da atenção básica e vigilância em saúde, Jéssika Julião e Nayara Almeida e durante o tempo em que esteve na câmara, prestou numerosos e importantes esclarecimentos sobre a real situação da saúde macauense e divulgou um relatório detalhado que expõe todas as atividades financeiras da pasta, e demonstra os desafios de se trabalhar numa cidade como Macau, com recursos tão limitados e uma agenda pesada de demandas. Lamentavelmente a secretária de saúde se viu só, naquela casa onde tanto se fala de saúde e de receita era natural esperar que a oposição que demonstra tanta preocupação com a cidade e os serviços de saúde estivesse alí, para concordar ou discordar das informações repassadas, ou para confrontar a quem é de direito ser confrontado, sobre os problemas do município.

Também em recente oportunidade, o Prefeito Tulio Lemos promoveu em seu gabinete, acompanhado de seus auxiliares uma prestação de contas parcial e detalhada, informando gastos, despesas e receitas, mas que foi ignorada pela oposição macauense; os oito vereadores da oposição encabeçados pelo suplente de intelectual e esnobe Emmanuel Clélio, preferiram viajar.

Ontem não diferente, o que causou revolta no vereador Francisco Pereira (Lampião) que usou da fala para expressar seu profundo repúdio ao desprezo pela cidade e os acusou de usarem a câmara, o mandato e os problemas da cidade como palanque para fazer política; falar o que bem entender e não dar chance para que sejam "rebatidos". Uma espécie de estelionato da moral.

Em sua fala Lucianny Guerra disse que: "Apenas lamento a ausência da maioria dos vereadores desta casa, que tanto expõem a saúde do município e no momento ímpar de fazer seus questionamentos e manifestar suas dúvidas se fizeram ausentes".

REPÚDIO:

Fica aqui então o registro e o repúdio do portal, a mais um sintoma de que a oposição de Macau não está ao lado de indivíduo nenhum, senão deles mesmos. E que toda e qualquer voz que ameace a soberania do discurso deles, será ignorada, abafada ou comprada.

COINCIDÊNCIA?

Enquanto a secretária de saúde falava na tribuna sobre os problemas e as realizações na saúde macauense, acontecia o carnatal, grande festa popular e que atrai milhares de foliões de todas as regiões do estado.
A frágil e covarde oposição em Macau A frágil e covarde oposição em Macau Reviewed by Portal Macauense on 12/15/2018 08:13:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Macauense.com.br

PUBLICIDADE

Image Link [] Facebook Username [#] Twitter Username [#] Whatsapp username [#] Instagram Username [#] GPlus Username [#] Pinterest Username [#]