» » » Documentário do TJRN sobre APAC Macau é vencedor no Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça

Macauense - O projeto “Documentário APAC Macau”, produzido pela Secretaria de Comunicação Social do Tribunal de Justiça do RN, foi o vencedor da 15ª edição do Prêmio Nacional de Comunicação e Justiça, na categoria Vídeo Institucional. O prêmio reconhece os melhores trabalhos realizados pelas assessorias de comunicação de todos os órgãos ligados à Justiça do país, em 14 categorias. A cerimônia de premiação ocorreu na sexta-feira (30), em Maceió (AL), durante o encerramento do 13º Congresso Brasileiro de Assessores de Comunicação da Justiça (Conbrascom), evento realizado pelo Fórum Nacional de Comunicação e Justiça. Este é o quinto prêmio conquistado pelo TJRN no Conbrascom desde o ano de 2013.
Representaram a Secoms/TJRN durante o Conbrascom, o secretário de Comunicação Social, jornalista Osair Vasconcelos; o jornalista Luiz Freitas, e o fotógrafo Tasso Pinheiro.
“O prêmio representa a continuidade de um trabalho permanente e duradouro, fruto do alto nível de profissionalismo da Secretaria de Comunicação do TJRN, que a mantém entre as melhores do Brasil há vários anos”, destaca o jornalista Osair Vasconcelos a respeito da honraria conquistada pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. A quinta, nos últimos quatro anos.
O documentário – que pode ser visto AQUI - explica o método APAC e os resultados positivos da primeira unidade do Nordeste, instalada em Macau, considerada modelo de ressocialização de apenados no Rio Grande do Norte.
"É surpreendente a forma como os internos da APAC falam sobre a experiência de cumprir pena em uma unidade prisional que valoriza a recuperação do apenado. O documentário mostra que é possível criar unidades prisionais que recuperam por meio do trabalho, com baixos custos de manutenção", ressalta a jornalista Luciana Silveira, chefe de Divisão de Mídia Eletrônica do TJRN e coordenadora da equipe que produziu o documentário.
Participaram do trabalho as jornalistas Neli Terra e Ariane Viana; cinegrafistas Hélio Júnior e Marcos Aurélio Rocha; e ainda Max Hebert e Hugo Marcelino, na edição.
A categoria Vídeo Institucional foi a quarta com maior número de trabalhos inscritos no Conbrascom 2017: 25. O TJRN ficou entre os três melhores classificados para a final, concorrendo com os trabalhos “Uma limitação, muitas possibilidades”, do Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina, e “Vídeo infantil da JFRN”, da Justiça Federal potiguar. Ao todo, esta edição do Conbrascom teve 271 trabalhos inscritos, em 14 categorias.
Publicidade
Image and video hosting by TinyPic

Macauense

Macauense.com.br
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta

Macauense.com.br