» » » Estelionato Parlamentar

Macauense - Por mais que pareça pesado ou radical o título desta matéria, o tema abordado é igualmente nebuloso e prejudicial, principalmente para o futuro da nossa cidade.

Temos em Macau um trio de vereadores (Emanuel Clelio, Ítalo Mendonça e Cláudio Gia); três sujeitos de áreas opostas no espectro ideológico, mas com feitio bastante semelhante na forma com que usam a comunicação direta para se manter em evidência.

Dispostos a crescer não por suas qualidades ou feitos, mas nas falhas alheias, talvez por incapacidade de criar projetos que proporcionem uma melhoria na vida dos macauenses - ou simplesmente porque já estão fazendo campanha antecipada - a ideia do quanto pior, melhor é uma bandeira que caiu nas graças dessa turma.

O que eles buscam é tumultuar, fabricar um sentimento de instabilidade política, amparar-se em problemas pontuais e minúsculos, como a queima de uma lâmpada ou um animal que encontrou a porta aberta e fugiu; Porque por quanto mais tempo se levar nessa cantilena de que a cidade está cheia de problemas - e não está - melhor para os interesses pessoais desses emissários do apocalipse. Emissários esses que certamente devem sofrer de algum tipo de cegueira radical e intencional.

Reclamam de um pedaço de forro PVC que desaba ou de uma grade que foi roubada ao tempo que fecham os olhos para os mais de 2 milhões de reais já pagos em salários atrasados, deixados por outra gestão, vale mencionar.

Reclamam do tamanho do capim na praça ao tempo que fecham os olhos para os inúmeros médicos e especialistas que a administração trouxe pra Macau - entre eles dois cardiologistas e um endocrinologista - fato nada comum em cidades deste porte.
Portanto, quando vejo alguém dizer que nunca se teve uma câmara tão atuante, posso até concordar, mas atuante em prol de quê?

Do povo? Certamente não, atuante em se promover. E por quê? O motivo é visível: Quando se diz que a luz do poste está apagada ou que o capim tá maior, isso só gera duas coisas, primeiro certo falso-prestígio para o vereador por parte de quem não sabe o real dever de um vereador e acha que ele está "trabalhando pelo povo e fiscalizando" e um desgaste momentâneo pro governo, que é tudo que eles querem, ao invés da solução, porque eles detestam a solução, eles querem é a repercussão negativa do problema não resolvido, pequeno ou grande, não importa.
Tudo isso visando usar o mandato pra fazer campanha, pra si ou contra o governo coisa que não traz benefício algum pra população. O pneu vai ficar careca e vai ser trocado novamente. A lâmpada vai queimar de novo e será trocada, é o curso natural das coisas. E no final do mandato o que fica de legado para o povo?

NADA. E pra eles? Meia dúzia de votos conseguidos através da venda de uma imagem falsa para o povo ou como eu gosto de chamar: estelionato parlamentar. Macau precisa que eles parem de fazer campanha, de fazer promoção pessoal com coisas ínfimas e que eles jamais terão poder de decisão sobre, e comecem a trabalhar pela cidade de fato.

Macau tem muito que avançar, e não é com uma postura tóxica e egoísta como essa que vão ajudar nossa cidade nessa tarefa. Sobre isso, há uma frase conhecida do livro O Príncipe, de Nicolau Maquiavel que diz: "Os fins justificam os meios”.

E estes parecem não medir esforços em viabilizar uma reeleição daqui a 4 anos, mesmo que pra isso tenham que passar todo esse tempo, sofrendo dessa cegueira intencional e tendenciosidade escancarada enquanto torcem para que o povo não perceba e que os problemas não sejam resolvidos.

E os projetos? E o trabalho? Para eles isso fica pra depois, pois o que importa é a politicagem barata.
Publicidade
Image and video hosting by TinyPic

Macauense

Macauense.com.br
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta

Macauense.com.br