» » » Tulio conversa com diretores da Alcanorte sobre desapropriação das casas e atrair investidores para Fábrica de Barrilha

TULIO CONVERSA COM DIRETORES DA ALCANORTE SOBRE A FÁBRICA E AS CASAS
                              Macauense - Mantendo o mesmo ritmo de trabalho que assumiu com Macau depois de sua eleição, o prefeito eleito Tulio Lemos teve reunião com diretores da empresa carioca MVB, escolhida pela justiça do Rio de Janeiro para servir como administradora judicial da massa falida da Alcanorte.
                                  Na reunião que aconteceu no inicio da tarde dessa sexta-feira, além do prefeito Túlio Lemos estiveram presentes o vice-prefeito eleito Rodrigo Aladim,  ex-prefeito Afonso Lemos, o jornalista Bosco Afonso e o  ex-secretário de Estado Vagner Araújo juntamente com os representantes da Alcanorte Carlos Alexandre Melman, Esdras Redua e Wellington Neri, oportunidade em que ficou exposta a real situação da empresa como massa falida.
                                    Cientificado pelo prefeito eleito Tulio Lemos de sua preocupação com relação aos destinos da Alcanorte que nasceu em 1976, ainda estatal, com o objetivo de se tornar o esteio da economia do Rio Grande do Norte, o engenheiro Carlos Alexandre mostrou que a situação atual poderá facilitar a transferência de todo o patrimônio da empresa para outro investidor, pois já há uma confirmação de que todos os bens serão levados a leilão. 
Para Tulio, “a nossa preocupação está com a possibilidade de atrair investidores para viabilizar o funcionamento do parque fabril, com o aspecto social das casas que estão ocupadas na Vila da Alcanorte e com a adutora que serve para a Caern trazer água até Macau. No caso da fábrica, conforme informação do engenheiro Wellington Neri, existe empresa argentina interessada em produzir soda cáustica e cloro e isso depende das condições de negociação oferecidas pela administradora judicial da Alcanorte e da Potigás viabilizar o fornecimento de 500 mil metros cúbicos de gás ao empreendimento”.
                                         Para o engenheiro Carlos Alexandre Melman, da MVB, “essa é a primeira vez que estamos sendo procurados por uma autoridade do município de Macau disposta a encontrar solução para o problema da Alcanorte e é com satisfação que estaremos dispostos, na condição de administrador judicial da massa falida da empresa, a contribuir para a solução e, quem sabe, em breve, podermos ver funcionar esse empreendimento que é de importância vital para a economia do Rio Grande do Norte e particularmente de Macau”.
                                          A conversa entre as equipes do prefeito eleito Tulio Lemos e da empresa MVB demorou por mais de duas horas, ocasião em que foram discutidas algumas alternativas de solução da massa falida, incluindo as casas da Vila da Alcanorte, oportunidade em que o prefeito eleito de Macau afirmou que “essa nossa primeira reunião foi muito proveitosa e esperamos alcançar frutos a médio prazo, pois a nossa pretensão é de fazer com que Macau tenha o seu Polo Industrial gerando emprego, renda e impostos em nosso município e que as famílias que moram na Alcanorte tenham uma solução definitiva em relação aos imóveis”.

Macauense

Macauense

Macauense.com.br
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta

Macauense.com.br