» » » Relatório do governo diz que notificações diminuem, mas casos fatais de dengue aumentam no RN

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) divulgou nesta segunda-feira (7) os dados atualizados sobre a dengue no Rio Grande do Norte. No relatório foi apresentado que o número de notificações caiu, porém a quantidade de municípios classificados como de alta incidência continua preocupando o poder público e a população.
Entre as 167 cidades do RN, 97 foram enquadradas no grupo daquelas com alta incidência da dengue. O percentual de 58%, ou seja, mais da metade, apresenta um grande número de incidências da doença. A coordenadora do Programa Estadual de Controle à Dengue, Silvia Dinara Alves, revela que esse dado revela a importância do trabalho conjunto, não só do poder público, porém de mais atenção e educação da população para evitar a proliferação do mosquito transmissor do vírus.
Ela destaca que os outros 70 municípios não significam necessariamente que suas situações sejam melhores, embora alguns apresentem bons resultados no combate ao mosquito transmissor. Mas a coordenadora enfatiza que muitas cidades não passam os dados, o que dificulta uma mensuração da situação de cada uma.
Por outro lado, o número de notificações caiu. O Estado apresentou 20.518 casos notificados como suspeitos de dengue, entre o início deste ano até o último dia 21 de setembro. A queda foi de 38,72% em comparação ao mesmo período de 2012 quando foram registrados 33.482 notificações da doença.
O cálculo que avalia a situação de cada cidade é feito da seguinte forma: o número de casos registrados naquele período é dividido pelo total da população, e logo após, multiplicado por 100 mil. Com o resultado, é constatada a situação de cada cidade e, diante disso, a melhor forma de atuação é planejada.
O que poderia ser um motivo para comemoração acaba sendo revertido em alerta por outro dado, pois, dentre estas notificações, o número de casos fatais também aumentou em comparação ao ano passado. Este aumento na letalidade foi de 130%, o que pode ser explicado por diversos fatores.
De acordo com Sílvia Dinara, a doença é muito dinâmica, e talvez a falta de atenção por parte do portador, e até mesmo do médico pode causar complicações graves. “Se não forem tomados todos os cuidados, a doença pode levar a morte. As pessoas não dão importância, pois na maioria das vezes acham que se trata de uma virose”, diz. Ela diz que aqui no Estado existem quatro tipos diferentes de sorotipos (D1, D2, D3 e o D4) e a variação de um para outro, mais grave, não é difícil de acontecer. Por este motivo, o médico deve estar preparado, como também estar atento tanto aos sintomas como à medicação.
Ela destaca que neste período, de outubro a dezembro, quando o clima é mais seco, as pessoas costumam ficar mais despreocupadas com os cuidados em relação aos locais onde o mosquito Aedes aegypti pode se proliferar. “Temos de pensar na dengue o ano todo”, aconselha.
Diante dos resultados, a Sesap pretende trabalhar na redução dos problemas elaborando estratégias de atuação. Uma delas são as reuniões técnicas nos municípios para identificar os problemas pontuais de cada localidade e com estas informações passar para o Ministério da Saúde. Outro trabalho que já está acontecendo é a capacitação de enfermeiros e técnicos para lidarem da melhor forma com os pacientes. Um curso com duração de dois dias está sendo levado para cada região do Estado.
Sílvia Dinara destaca que o Estado não está vivendo uma epidemia e, sim, surtos de dengue. Porém, para evitar que alguma epidemia aconteça no Estado, ela solicita que cada cidade realize os exames laboratoriais de isolamento entre as pessoas que tenham contraído o vírus. Pois, de posse deste exame, é possível analisar qual tipo de sorotipo está em maior e menor evidência no Estado. De posse destes dados, é mais fácil se preparar para uma epidemia. “As epidemias acontecem em duas situações, ou quanto um tipo novo de vírus aparece, ou então quando uma modalidade quase desaparece e depois voltar isso, temos de ficar atentos”, destaca.
 
 


 








As Melhores Ofertas aqui

Macauense

Macauense.com.br
«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Deixe uma resposta

Macauense.com.br