Número de miseráveis no país vai cair para 2,5 milhões, diz Dilma

A presidente Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira que o número de miseráveis

no Brasil cairá para 2,5 milhões de pessoas, a partir deste mês, quando começar a ser pago o novo benefício do programa Brasil Carinhoso, que ampliou o Bolsa Família. O governo classifica como miserável quem sobrevive com até R$ 70 mensais per capita. Dilma prometeu erradicar a pobreza extrema até o fim do mandato, em 2014.

- Vamos deixar apenas 2,5 milhões (de miseráveis) para completar o ciclo da nossa promessa do Brasil sem Miséria, que é retirar todos os brasileiros da extrema pobreza. Esse programa é uma questão ética, moral, mas é uma questão econômica e política também - discursou a presidente, na abertura do 7º Encontro Nacional da Indústria, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

Anunciada recentemente, a ampliação do Brasil Carinhoso consistirá no pagamento de recursos adicionais aos beneficiários do Bolsa Família com filhos de até 15 anos, de modo que todos recebam mais de R$ 70 mensais per capita. Esse benefício só era dado a famílias com filhos de até 6 anos.

O cálculo de Dilma leva em conta registros administrativos do Cadastro Único, que reúne dados de renda declarados pelos beneficiários do Bolsa Família e informados pelas prefeituras ao Ministério do Desenvolvimento Social. Ainda não há informações atualizadas do IBGE sobre o impacto do Brasil Carinhoso. E são os levantamentos do IBGE que dão a medida da pobreza no país. Tanto que foi com base no censo de 2010 que o governo Dilma lançou o Brasil sem Miséria.

O dado mais recente do IBGE é o da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, a Pnad de 2011, indicou a existência de 8 milhões de miseráveis no país. Já o Censo de 2010 apontou o dobro disso: 16,2 milhões de miseráveis. A diferença entre o dado do censo e o da Pnad é, em essência, metodológica e não significa que 8 milhões de pessoas tenham sido retiradas da miséria de 2010 para 2011.

Em seu discurso nesta quarta-feira, Dilma destacou o papel do Bolsa Família na diminuição da pobreza extrema, afirmando que cerca de 18 milhões de pessoas continuariam na miséria, se não fosse o programa de transferência de renda:

- O Bolsa Família, se não existisse, hoje no Brasil teríamos 36 milhões de brasileiros e brasileiras abaixo da pobreza extrema, ganhando menos de R$ 70 per capita. Como o Bolsa Família foi feito, nós conseguimos, desses 36 milhões, em torno de 18 milhões, quase 19 milhões conseguimos tirar da pobreza extrema até 2010.

Dilma destacou o efeito econômico disso:

- Uma das características competitivas do nosso país é que somos país de quase 200 milhões de pessoas, de consumidores. Um país de 200 milhões de consumidores tem que zelar pelo seu maior patrimônio, que é cada uma das pessoas que o integram.

Presente ao evento, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou a implementação do Financiamento Estudantil voltado para empresas, o Fies Empresas, que emprestará recursos para que trabalhadores de empresas de pequeno, médio e grande porte possam fazer cursos de qualificação. Segundo ele, o Pronatec atendeu 2,5 milhões de pessoas.

Da Agência O Globo







Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.





Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

As Melhores Ofertas aqui
Número de miseráveis no país vai cair para 2,5 milhões, diz Dilma Número de miseráveis no país vai cair para 2,5 milhões, diz Dilma Reviewed by Macauense on 12/05/2012 09:54:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Macauense.com.br

PUBLICIDADE

Image Link [https://lh3.googleusercontent.com/-wlvSkBWGUW0/AAAAAAAAAAI/AAAAAAAAAxU/6FpWSjn-h2o/s120-c/photo.jpg] Author Name [Sora Templates] Author Description [Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard] Facebook Username [#] Twitter Username [#] GPlus Username [#] Pinterest Username [#] Instagram Username [#]