Respingos de lama na política papa-jerimum

Sociedade não suporta mais a sujeira política que alguns insistem em empurrar pra debaixo do tapete. Compra de voto e uso da máquina é crime. A notícia de que o Ministério Público Eleitoral entrou com seis pedidos de cassação contra a prefeita eleita de Mossoró Cláudia Regina, e contra o seu vice Wellington Filho (PMDB), dos quais três são por compra de votos é muito grave, até porque o MPE cita também a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), num dos processos pelo uso da máquina do governo em prol de sua candidata. Não custa lembrar o Caixa 2 do DEM na eleição passada para governador amplamente divulgado pelo jornalista Daniel Dantas Lemos, em seu blog, De Olho no Discurso, e que até hoje não se sabe que fim levou. Neste caso, nas interceptações telefônicas realizadas pelo Ministério Público Estadual ficou claro a participação do hoje chefe de Gabinete do governo do Rio Grande do Norte, Carlos Augusto Rosado, marido da governadora. Já disse algumas vezes, mas não custa repetir. O Brasil está mudando e a classe política precisa e deve acompanhar estas mudanças. A lei do Ficha Limpa, uma iniciativa popular aprovada pelo Congresso Nacional está aí pra isso. Não é dizer apenas que é ficha limpa. Tem que parecer ficha limpa. A sociedade não suporta mais a sujeira política que alguns insistem em empurrar pra debaixo do tapete. Compra de voto e uso da máquina é crime e como tal o político que faz isso tem que ser punido. Se ficar mesmo provado que a eleição de Cláudia Regina foi feita sob o uso escuso da compra de voto e da máquina administrativa tanto da prefeitura de Mossoró quanto do governo estadual, é certo que ela não será diplomada. Que sirva de lição para outros pleitos que virão por aí. O político tem que aprender que o voto do eleitor é soberano e que ninguém tem o direito de comprar. Eleição se ganha pela vontade popular. O coronelismo acabou faz tempo no Nordeste, mas parece que alguns políticos não se deram conta disso. Acham que com qualquer feirinha podem comprar o voto. Até “podem”, mas só que agora o Ministério Público Eleitoral está atento. Infelizmente a semana passada encerrou com a classe política do Rio Grande do Norte debaixo de respingos de lama. Primeiro foi o afastamento da prefeita de Natal Micarla de Sousa (PV) do cargo pela Justiça. Micarla é acusada pelo Ministério Público Estadual de envolvimento da Operação Assepsia. Depois a informação de que o Ministério Público Eleitoral está pedindo a cassação da diplomação da prefeita eleita de Mossoró Cláudia Regina. Como se observa, as manchetes não são nada boas para a classe política papa-jerimum. A prefeita da capital deixou o poder de forma melancólica e a futura prefeita da segunda maior cidade do estado corre o risco de não ser empossada.
 





Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.






Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

As Melhores Ofertas aqui
Respingos de lama na política papa-jerimum Respingos de lama na política papa-jerimum Reviewed by Macauense on 11/11/2012 10:13:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Macauense.com.br

PUBLICIDADE

Image Link [] Facebook Username [#] Twitter Username [#] Whatsapp username [#] Instagram Username [#] GPlus Username [#] Pinterest Username [#]