PUBLICIDADE

Termoaçu vai gerar 60% da energia consumida no RN

O empreendimento grandioso com o qual o Rio Grande do Norte vai contar a partir de março do próximo ano está concluindo suas obras: 90% da usina termelétrica Vale do Açu, a Termoaçu, já estão concluídos. Contudo, para enxergar sua representatividade além da estrutura física, é preciso ver como a nova “fábrica” de vapor e energia elétrica vai se inserir no dia-a-dia do estado. Se de um lado sua produção vai tornar o RN auto-suficiente em energia elétrica e levará uma estação de tratamento de águas para o Rio Açu, de outro não será grande fonte de empregos e destinará apenas 40% da energia para o consumo interno. Ao falar dos benefícios que a Termoaçu trará para o estado, o presidente da termelétrica, José Paulo Vieira, ressalta que, em sua primeira fase, a usina produzirá cerca de 60% de toda a energia elétrica consumida no estado. Quando estiver funcionando plenamente, em 2021, deverá fornecer o equivalente a toda a energia que o RN usa atualmente. Segundo ele, essa auto-suficiência - que deverá ser atingida com a ajuda de parques eólicos, mas cujo peso maior será da Termoaçu - vai conferir atratividade ao estado mais atratividade para investimentos industriais. A estabilidade seria um ímã para indústrias, especialmente as indústrias que usam tecnologia de ponta e não podem sofrer oscilações. “É tanto que o prefeito de Alto dos Rodrigues (a 204 Km de Natal, onde a usina está instalada) determinou que toda a área no entorno fosse transformada em distrito industrial”, diz Vieira. De acordo com o presidente da Termoaçu, oferecer essas condições hoje é praticamente impossível porque, atualmente, o RN está “no fim da fila” das linhas de transmissão de energia elétrica do país, o que abre espaço para falhas no fornecimento. “Com a Termoaçu, essa energia vai ser de grande qualidade”. Porém, assim como qualquer sistema elétrico do Brasil, o da Termoaçu abastecerá a rede nacional. O contrato com a Cosern garante que 40% da energia fiquem no Rio Grande do Norte. O restante será enviado à Coelba (concessionária de energia elétrica da Bahia) e à Petrobras. “A Termoaçu não vai trazer mudanças no dia-a-dia”, explica Vieira. O preço da energia, por exemplo, não deverá sofrer redução pelo fato de a energia vir do RN. “Para o consumidor, o importante é que diminui o risco de falta de energia, porque a Termoaçu está contribuindo com o sistema interligado nacional e trazendo energia de qualidade ao estado”. Outro ponto que merece esclarecimento é em relação à geração de impostos: nem todo o ICMS cobrado sobre a energia ficará no RN, uma vez que, por lei, ele é cobrado no destino, não na origem. Contudo, Vieira lembra que o vapor produzido pela usina, destinado ao maior aproveitamento na extração de petróleo, vai influir diretamente na produção do óleo, com um acréscimo de pelo menos 12 mil barris diários. “Isso vai aumentar o ganho de royalties para o Estado e para os municípios”, destaca. Em relação ao gás, a Termoaçu parece não ter o que temer frente à turbulência no mercado nacional. Consumindo 2,5 milhões de metros cúbicos diários de gás natural - cerca de 60% da produção atual do estado, a usina tem matéria-prima garantida, tendo em vista que, em seus contratos, a Petrobras é obrigada a fornecer o insumo, sob pena de ser multada.
Termoaçu vai gerar 60% da energia consumida no RN Termoaçu vai gerar 60% da energia consumida no RN Reviewed by Portal Macauense on 11/05/2007 06:33:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário

Macauense.com.br

PUBLICIDADE