Este é o nosso mais admirado cartão postal da nossa querida cidade Macau, um moinho que representa toda uma história de grandes conquistas e o avanço tecnológico da época. era responsável pelo translado das águas mães que é responsaveis pela fabricação do sal, mais essa é uma história de grandeza representada por este marco que o tempo não apagará jamais da história dos Macaueses, diferentemente da realidade dos dias de hoje onde o seu povo sofre com tantos descasos dos seus administradores, onde a sociedade do bem só pensam nas suas riquesas, simplesmente aproveitadores da história de Macau que nem filhos da terra são, esses são os verdadeiros donos da imensa falta de cultura e de sorte que a cidade não tenhe em colocar pessoas incapacitadas para administrar um
povo, uma cidade sem memória sem cultura sem pespequitiva de dias melhores, o povo já não aguenta mais tanto sofrimento, tanta falta de sorte. Comemorar o quê? não temos motivos para comemorar e sim para repudiar toda essa baderna que se encontra em nossa cidade, estamos no barco do abandono Macau estará complentando 132 anos de muita revolta e principalmente muita tristeza por não termos a quem recorrer por não ouvirem nosso grito sufocado na garganta, grito de revolta grito de liberdade se é que temos esse direito, esse é o nosso desabafo, parabéns minha querida Macau.
Reviewed by Macauense on 8/28/2007 07:10:00 PM Rating: 5

3 comentários

  1. Como filho de Macau, quero nesse instante prestar uma homenagem a pessoa do nosso saudoso José Raimundo Nonato de Albuquerque, que em tão lúcida hora teve a ideia de fazer esse cartão postal para Macau, engrandecendo sempre sua terra Natal. Se todo bom macauense penssasse como o mestre Ze Raimundo nossa querida Macau não estaria ao abandono completo. O mestre foi um verdadeiro apaixonado por sua terra Natal, haja vista nunca haver saído de sua terra para conquistar confiança, sempre esteve presente as nas maiores decisões da sua terra, sempre que era consultado e emitir sua opinião. Portanto está de parabens a capital do sal do Brasil em ter um cartão postal tão significativo como este. Mestre Zé Raimundo, estáis junto ao pai, mas os bons filhos de Macau te louvam e te saúdam ainda hoje pelo grande homem que vc foi. Descanse em paz.

    ResponderExcluir
  2. Bergson Albuquerque31 de outubro de 2007 17:29

    Como neto mais velho do grande Mestre Jose Raimundo de Albuquerque, venho solidarizar-me com o primo Laurenio, nesta tão singela lembrança a um homem que tantos serviços prestou a capital salineira do RN,a nossa Macau, terra que tanto amamos e que muitas alegrias nos proporcionou, hoje vemos homens como Zé Raimundo esquecidos pelos que se dizem representantes do povo, que tão bem conviveram com ele, e nem uma reles placa de praça ou de rua ou muito menos de uma viela para lembrar aos que passam por esta cidade que ali um dia viveu um homem integro de boa fama, que o unico proposito de vida foi levar o nome de sua cidade aos confins do nosso país. Certo do mesmo estar em paz com Deus, pois o que fez foi para que outros fossem beneficiados pelo trabalho de suas maõs, trabalhos este feito com muito amor, como tudo que foi feito por ele,sou grato e ao mesmo tempo indignado pelo descaso, me despeço. Henri Bergson A. Albuquerque.

    ResponderExcluir
  3. Bergson Albuquerque31 de outubro de 2007 17:37

    Gostaria de lembrar tambem aos macauenses uma figura muito ilustre que dedicou sua vida a perpetuar a historia de Macau, mesmo pra muitos parecendo louco, mais a sua loucura foi ter coragem e disposição em fazer o que ele fez,preservando assim a historia do povo por qual ele foi muitas vezes incompreendido,este foi o grande João de Aquino o homem museu, nossos parabéns, gostaria que as autoridades tomassem providencias quanto a preservação de tão grande patrimonio para a população macauense.

    ResponderExcluir

Macauense.com.br

PUBLICIDADE

Image Link [] Facebook Username [#] Twitter Username [#] Whatsapp username [#] Instagram Username [#] GPlus Username [#] Pinterest Username [#]